Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Governo mais otimista quanto ao futuro das pensões de velhice

  • 333

getty images

Relatório do Orçamento do Estado para 2017 prevê que o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social só esgote no início da década de 2040

Entre a proposta do Orçamento do Estado (OE) para 2016 apresentada em fevereiro e a proposta do OE para 2017 apresentada agora em outubro, o Governo ficou mais otimista quanto ao futuro do sistema de pensões.

É o que mostra o relatório sobre a sustentabilidade financeira da Segurança Social que obrigatoriamente acompanha a proposta orçamental sobre a duração do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, o mealheiro atualmente com €14,1 mil milhões e que serve para pagar as pensões dos reformados portugueses quando o sistema previdencial começar a gerar défices já na próxima década.

No OE para 2016, o Governo estimava que o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS) não se esgotasse antes de 2035. Já no OE para 2017, o mealheiro aguenta pelo menos mais cinco anos: "Ainda que se projetem saldos negativos do sistema previdencial em meados da década de 2020, sendo nessa altura simulada a utilização anual do FEFSS para fazer face a esses défices, o esgotamento do FEFSS projeta-se para o início da década de 2040", lê-se no relatório do OE 2017.