Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Entusiasmo de Wall Street esmorece com divisões no banco central

  • 333

Depois de terem registado ganhos de 0,4% logo a seguir à divulgação das atas da reunião de setembro da Reserva Federal, os dois principais índices no NYSE fecharam esta quarta-feira com subidas modestas. Nasdaq fechou no vermelho. Bolsas mundiais em sessão de queda

Jorge Nascimento Rodrigues

Wall Street acabou por fechar esta quarta-feira com ganhos modestos nos seus dois principais índices e a bolsa das tecnológicas – o Nasdaq – encerrou no vermelho. A reação de entusiasmo inicial, na sessão da tarde (hora de Nova Iorque) do New York Stock Exchange (NYSE), com a divulgação das atas da reunião de 20 e 21 de setembro da Reserva Federal (Fed) esmoreceu. O Dow Jones 30 subiu para 0,36% e o S&P 500 para 0,4% pouco depois das atas apontarem para uma subida das taxas de juro do banco central “relativamente em breve”. O Nasdaq avançou, então, 0,18%.

Mas a digestão posterior do conteúdo das atas revelou uma profunda divisão entre os banqueiros centrais norte-americanos, com uns a necessitar de mais “provas convincentes” nos dados macroeconómicos para dar o “sim” a uma subida, e outros a considerar que o atraso na decisão "corrói a credibilidade da Fed" e pode provocar depois subidas mais agressivas das taxas de juro que correm o risco de precipitar a economia norte-americana numa recessão.

Os analistas continuam a interpretar o ‘sentimento’ maioritário na Fed no sentido de uma subida dos juros ainda este ano, com uma probabilidade de 69,8% dessa decisão ser tomada na última reunião do ano, a 14 de dezembro, segundo o mercado de futuros dessas taxas seguido por um indicador do CME Group.

A probabilidade da decisão ser tomada na próxima reunião da Fed, a 2 de novembro, a poucos dias das eleições presidenciais norte-americanas, é inferior a 10%.

Bolsas mundiais no vermelho

O Dow Jones 30 fechou pouco acima da linha de água, com uma subida de 0,09%, e o S&P 500 avançou 0,12%. O Nasdaq encerrou a recuar 0,15%, abalado por um movimento de venda de ações no sector da biotecnologia.

Apenas Nova Iorque escapou ao vermelho nesta sessão de quarta-feira. O índice MSCI respetivo subiu 0,11%. As restantes 'regiões' e agregados dos índices bolsistas MSCI registaram perdas. A Europa teve uma queda de 0,89%; a Ásia Pacífico recuou 0,76%; os mercados emergentes perderam 0,31%; e os mercados fronteira (bolsas de economias em desenvolvimento que ainda não são consideradas emergentes) caíram 0,3%. Na Europa, apenas as bolsas de Atenas e Luxemburgo escaparam às quedas.

À escala mundial, o índice MSCI global perdeu 0,29%. Foi o segundo dia consecutivo no vermelho esta semana.

  • Vários membros do comité de política monetária do banco central norte-americano pronunciaram-se na reunião de setembro por uma subida da taxa de juro "em breve", segundo as atas divulgadas esta quarta-feira. Wall Street reagiu positivamente

  • Os mercados financeiros aguardam esta quarta-feira a divulgação ao final da tarde das atas da última reunião do banco central norte-americano em setembro. No mercado de futuros, a probabilidade de um aumento das taxas de juro em dezembro nos Estados Unidos elevou-se para perto de 70%

  • A pouco mais de meia hora da divulgação das atas da reunião de setembro dos banqueiros centrais norte-americanos, os dois principais índices de Nova Iorque mantêm-se em terreno positivo. Na Europa, a derrocada das ações da Ericsson em Estocolmo marcou esta quarta-feira as perdas nas bolsas europeias