Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Deutsche Bank realiza mais uma colocação privada de dívida

  • 333

Sean Gallup/GETTY

Banco alemão emitiu mais de 1,3 mil milhões de euros em dívida, mas os custos de financiamento mais do que duplicaram

O Deutsche Bank, que deverá ter de pagar uma multa de 14 mil milhões de dólares (mais de 12,6 mil milhões de euros) nos EUA, terá realizado uma colocação privada de dívida no valor de 1,5 mil milhões de dólares (mais de 1,3 mil milhões de euros) nas últimas horas, notícia a agência Bloomberg. Os juros terão mais do que duplicado o valor pago há um ano atrás e a operação foi semelhante a uma outra, realizada há menos de uma semana, no valor de 3 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros).

De acordo com fontes citadas pela Bloomberg, os investidores que compraram, agora, a dívida, são, na sua maioria, os mesmo que entraram na operação realizada no dia 7 de outubro. Nessa altura, o prémio pago foi de 300 pontos base acima da taxa de referência para empréstimos e, agora, terá sido de 290 pontos base.

Nos últimos dias tem sido noticiado que o banco alemão está a estudar diferentes opções para reforçar os seus capitais e garantir que consegue pagar a multa imposta nos Estados Unidos devido à venda irregular de produtos financeiros, ao mesmo tempo que continua a contestar a penalização e a tentar negociar com as autoridades americanas.

No último fim de semana, o presidente da instituição, John Cyran, terá falhado um acordo com o Departamento de Justiça americano sobre o valor da multa, mas as conversações continuam.

As dúvidas sobre a saúde financeira do maior banco europeu e a sua capacidade de pagar a multa têm vindo a aumentar, até porque nas contas do banco está constiuída uma provisão de apenas 5,5 mil milhões de euros para custas judiciais e este caso nos EUA é apenas um dos que o banco enfrenta.

Do lado do Deutsche Bank tem havido a preocupação de passar a mensagem de que o banco é sólido e não necessita de ajudas públicas para pagar a multa nem para reforçar os seus rácios de capital e, diz a Bloomberg, o seu presidente está em conversações com bancos de Wall Strett para preparar um aumento de capital no valor de 5 mil milhões de euros.