Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“Teoria dos Contratos” vale Nobel da Economia a uma dupla

  • 333

Oliver Hart (à esq.) e Bengt Holmström

JONATHAN NACKSTRAND / AFP / Getty Images

Oliver Hart e Bengt Holmström foram distinguidos esta manhã pela Academia sueca

A teoria dos contratos foi, este ano, destacada com o Prémio do Banco da Suécia para as Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel, vulgo Prémio Nobel da Economia (ainda que, na realidade, não seja atribuído pela Fundação Nobel). Os contratos são um elemento fundamental das relações económicas e sociais.

O finlandês Bengt Holmström e o britânico e norte-americano Oliver Hart desenvolveram a teoria dos contratos nas suas diversas formas e o desenho de incentivos que lhe estão associados e partilham o prémio de 2016.

Os dois laureados publicaram no Massachusetts Institute of Technology (MIT) em conjunto em 1986 um trabalho precisamente intitulado "A Teoria dos Contratos", apresentado na Sociedade de Econometria em Cambridge, Estados Unidos. Os dois autores afirmavam que, "em certo sentido, os contratos são a base de uma grande parte da análise económica".

A investigação desenvolvida pelos dois economistas permite resolver o melhor desenho de resolução de problemas reais como opções de privatização, a remuneração de gestores com prémios e opções de ações, ou mesmo de professores, trabalhadores da saúde e guardas prisionais em função do desempenho, até ao desenho de legislação sobre bancarrotas.

Segundo o comunicado desta segunda-feira do Comité da Real Academia de Ciências da Suécia, que escolheu os premiados, "as novas ferramentas teóricas criadas por Hart e Holmström são valiosas para a compreensão dos contratos na vida real e das instituições, bem como das armadilhas potenciais no desenho contratual".

Bengt Holmström nasceu em Helsínquia em 1949 e é atualmente professor de Economia e de Economia e Gestão no MIT. Oliver Hart nasceu em Londres em 1948 e é atualmente professor de Economia na Universidade de Harvard, também em Cambridge, EUA.

Este ano, a academia optou por galardoar uma dupla. Nos dois anos anteriores, optou por atribuir o prémio individualmente, a Jean Tirole em 2014 e Angus Deaton em 2015.

Tal como os Prémios Nobel, o prémio do Banco da Suécia sobre Economia será entregue no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Alfred Nobel, e tem o valor de 8 milhões de coroas suecas (cerca de 830 mil euros), a ser dividido entre os dois laureados.