Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Chineses formalizam entrada no capital da dona do “DN” e “JN”

  • 333

Antigo edifício do "Diário de Notícias"

Gonçalo Rosa da Silva

Grupo chinês KNJ Investment Limited, sediado em Macau — e liderado pelo empresário Kevin Ho, sobrinho do ex-chefe do Executivo em Macau, Edmund Ho — vai passar a ser o maior acionista da Global Media, com 30% do capital. Operação será formalizada quarta-feira no Fórum Empresarial de Macau.

O gupo chinês KNJ Investment Limited, do empresário macaense Edmund Ho, vai formalizar esta semana o negócio que o levará a tornar-se o maior acionista do grupo Global Media, proprietário de meios como o "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias" e TSF. Em comunicado divulgado hoje, a Global Media indica que o memorando de entendimento para a operação será assinado na próxima quarta-feira, no Fórum Empresarial de Macau, na presença de "altos representantes portugueses, lusófonos e chineses".

No mesmo comunicado é confirmado que "a aquisição pela KNJ de uma participação de 30% do capital do Grupo Global Media" será feita "através de uma operação de aumento de capital". Conforme o Expresso tinha anunciado na sua edição de 17 de setembro, este aumento de capital no grupo será subscrito na íntegra pela KNJ e deverá envolver um investimento entre os 15 milhões e os 20 milhões de euros.

Segundo apurou o Expresso, além do aumento de capital, a fasquia de 30% que a KNJ vai passar a deter na Global Media envolverá também a compra de pequenas parcelas (2,5%) nas participações de 15% atualmente detidas no grupo pelo BCP e pelo Novo Banco na dona do "DN".

No fim deste processo, o restante capital atualmente detido por António Mosquito (27,5%), Joaquim Oliveira (27,5%) e Luís Montez (15%) será reduzido na mesma proporção, para valores na ordem dos 20% e 10%, respetivamente, o que deixará os chineses da KNJ como maiores acionistas do grupo.

No comunicado hoje divulgado pela Global Media, o grupo traça como objetivos desta operação a "criação de plataformas comunicacionais que permitem ligar Portugal e Macau a países de língua portuguesa" e ta,bém a expansão da sua atividade "nos mercados digital e online, no âmbito da sua estratégia internacional".

"Esta parceria permite promover a atuação da Global Media nos mercados de Macau, Angola, Moçambique e Brasil e implementar processos tecnológicos inovadores, incluindo a criação de uma plataforma física em Macau", refere o comunicado.