Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Deutsche Bank anima-se com oferta de resgate por privados

  • 333

Um plano de emergência está em discussão por parte de algumas das mais importantes cotadas na bolsa de Frankfurt para injetar dinheiro no maior banco alemão em caso de necessidade, segundo o jornal alemão ‘Handelsblatt’

Jorge Nascimento Rodrigues

As ações do Deutsche Bank (DB) subiram esta sexta-feira para 12,3 euros pelas 10 horas (hora de Portugal) na bolsa de Frankfurt, registando uma subida em relação ao fecho do dia anterior. Na quinta-feira, as ações do DB encerraram no vermelho, depois de cinco sessões consecutivas em trajetória ascendente.

A animação esta sexta-feira em torno do DB poderá dever-se, segundo analistas financeiros, ao impacto positivo da existência de um eventual envolvimento de entidades privadas alemãs num plano de emergência de injeção de capital no maior banco germânico, em caso de necessidade. O jornal alemão ‘Haldelsblatt’ avançou em exclusivo que um conjunto de grandes cotadas na bolsa de Frankfurt estaria a discutir uma injeção de vários milhares de milhões de euros no banco através de compras de ações, caso a crise de confiança regresse. No entanto, a injeção não ultrapassaria “um dígito” na casa dos milhares de milhões de euros, refere o jornal germânico. A administração do banco e o Ministério das Finanças alemão declinaram comentar o assunto.

O ‘Handelsblatt’ adianta que o plano privado pouparia ao governo federal alemão da chanceler Angela Merkel problemas políticos complexos, para mais com eleições federais em setembro do próximo ano. O governo alemão está limitado na sua margem de manobra pela nova diretiva europeia de reestruturação e resolução bancária e pela pressão da sua opinião pública atualmente avessa a resgates de bancos com dinheiro dos contribuintes.

Recorde-se que a crise de confiança no DB viveu recentemente um pico a 26 de setembro com uma derrocada em bolsa de 7,6% e a 30 de setembro com a queda do valor da ação para um mínimo histórico de 9,9 euros.

O DB está a tentar chegar a um acordo antes das eleições presidenciais norte-americanas de 8 de novembro com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos a respeito do montante da multa que foi fixada na ordem de 14 mil milhões de dólares (cerca de 12,5 mil milhões em euros). A agência Moody's prevê que ela possa descer para um máximo de 5,7 mil milhões de dólares.