Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Caixa é que vai pagar os consultores contratados por Domingues

  • 333

José Caria

António Domingues admitiu ter contratado a Mckinsey e o escritório de advogados de Sá Carneiro para o assessorar no processo de recapitalização da Caixa antes de ser presidente, mas quem irá pagar será o banco público

Ainda antes de tomar posse, António Domingues contratou a consultora Mckinsey e o escritório de advogados de Sá Carneiro para o assessorar no processo de recapitalização da Caixa, que o gestor iria liderar. "A escolha foi minha e resultou da minha avaliação do que seria preciso para negociar com Bruxelas", justificou esta terça-feira no Parlamento. E adiantou que avisou o Banco Central Europeu, a Direção-Geral da Concorrência, o Banco de Portugal e o Ministério das Finanças desta decisão.

A 29 de julho, o ministro das Finanças, Mário Centeno, disse que o Governo não tinha feito aquele contrato com os consultores convidados por António Domingues para o ajudar a desenhar o plano que permitiria a capitalização e seria submetido às autoridades europeias. "O Estado não contratou essa assessoria e a Caixa neste momento não contratou essa assessoria", disse então Mário Centeno. Tendo em consideração esta declaração e as afirmações de António Domingues na Comissão, o CDS requer ao ministro das Finanças que diga quando é que o Governo tomou conhecimento da contração da Mckinsey e de Sá Carneiro. Mais, pretende que Centeno explique que "ações tomou (o Governo) para garantir e fiscalizar a inexistência de conflitos de interesse, em ambas as assessorias".

Aos deputados, o novo presidente da Caixa adiantou que em agosto escreveu ao ministro das Finanças defendendo que o pagamento deveria ser feito pelo banco público, uma vez que elas ajudaram o plano a passar em Bruxelas. Mário Centeno "concedeu levar ao conselho de administração da CGD esta questão do pagamento por parte do banco, onde eu não votarei porque fui eu que contratei", explicou Domingues na comissão parlamentar de inquérito.

António Domingues sublinhou no entanto que se por acaso a Caixa não pagasse aos consultores, ele pagaria do seu próprio bolso. "Eu saberia que (os consultores) iriam ser pagos. Se houver dificuldade em fazê-lo, eu pagarei", explicou o novo presidente da Caixa.

"A Mckinsey e o escritório de advogados de Sá Carneiro são entidades que conheço há muito tempo. (..) Era impossível ser eu a fazer sozinho o plano", defendeu António Domingues. E acrescentou:"Não tive acesso a informação confidencial".

António Domingues fez ainda questão de dizer aos deputados que trabalhou durante quatro meses no plano de recapitlização da Caixa em regime pro bono. Ou seja, de graça.