Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Os negócios que estão a dar são: corpo, comida e roupa lavada

  • 333

Pedro Ruiz, à esquerda, e Alexandre Lourenço, trazem experiências diferentes no mundo do franchising para o novo conceito que promete engordar o negócio dos ginásios

Tiago Miranda

O negócio cresceu 6,5% em 2015 e promete manter a dinâmica com novas marcas e mais lojas. A restauração é o sector do momento

A carrinha da D’Carne marcou presença na última Feira Internacional de Franchising, realizada em março, em Lisboa, apenas para servir os visitantes com as suas pizas, pregos e costelinhas, mas acabou por atrair a atenção de quem anda de olho no negócio e tornou-se, de imediato, um novo conceito de franchising. A história, contada por Cristina Matos, diretora-geral da Associação Portuguesa de Franchising (APF) para mostrar a nova dinâmica que está a mover o sector serve, também, para indicar a moda da street food, ou comida de rua, como uma das tendências do momento, a par da restauração em geral.

O último censos do Instituto de Informação em Franchising (IIF), relativo a 2015, já dava conta de que havia um movimento de regresso à restauração, o segmento que mais cresceu (2,8%) no ano passado. “Na distribuição sectorial, o domínio continua a ser dos serviços, com uma quota de 58,8%, dividida entre os serviços para particulares (42,6%) e os serviços para empresas ou mistos (16,2%), mas a restauração foi o segmento que mais cresceu e pesa, agora, 12%, enquanto o comércio caiu 2,1%, para os 29,2%”, refere Carlos Santos, gestor do IIF, certo de que as marmitas podem estar para durar, mas os portugueses continuam a gostar de comer fora. E há, ainda, o desenvolvimento do turismo a puxar pela criação e expansão das marcas ligadas à alimentação, como sublinha Cristina Matos.

Leia mais na edição deste fim de semana