Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Juros da dívida fecham abaixo de 3%

  • 333

Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos caíram para 2,99% no encerramento do mercado secundário da dívida desta terça-feira. Um fecho abaixo de 3% já não se registava desde 18 de agosto. IGCP poderá regressar a leilão de OT a 21 de setembro. Pagamentos ao FMI reduzidos para €4 mil milhões

Jorge Nascimento Rodrigues

As yields das Obrigações do Tesouro (OT) no prazo de referência, a 10 anos, fecharam esta terça-feira em 2,99% no mercado secundário da dívida soberana. Um valor de fecho abaixo de 3% já não se registava desde 18 de agosto.

O prémio de risco da dívida portuguesa encerrou em 310,1 pontos base, o equivalente a mais 3,1 pontos percentuais acima do custo de financiamento da dívida alemã, que serve de referência para a zona euro. Uma subida ligeira em relação ao fecho a 2 de setembro, no final da semana passada. As yields das obrigações alemãs a 10 anos desceram esta terça-feira para -0,107%, quando no dia anterior haviam encerrado em -0,047%.

Recorde-se que a agência de notação Moody’s decidiu não emitir opinião sobre a dívida portuguesa na sexta-feira passada, pelo que se mantém o rating que estabeleceu em julho de 2014, de Ba1 (nível especulativo mais próximo do grau de investimento), e com perspetiva estável. A próxima agência a poder rever o rating da dívida portuguesa é a Standard & Poor’s a 16 de setembro.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) prevê colocar mais 2,9 mil milhões de euros em dívida obrigacionista até final do ano, segundo a “Apresentação a Investidores” de 5 de setembro. A consultora Capital Economics aponta para um novo leilão de dívida a 21 de setembro.

Ainda segunda a mesma “Apresentação”, o IGCP reviu em baixa o montante de amortizações ao Fundo Monetário Internacional ainda a realizar até final do ano, através de antecipações, que desceu de 6,6 mil milhões de euros para 4 mil milhões de euros, uma redução de 2,6 mil milhões de euros nas previsões.

Segundo dos dados mais recentes do Banco de Portugal, a dívida pública portuguesa situava-se no final de julho em 240,9 mil milhões de euros. No final do primeiro semestre, a dívida estava em 240 mil milhões de euros, equivalendo a um máximo histórico de 131,9% do PIB.