Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Assembleia-Geral do BPI foi suspensa e será retomada no dia 21

  • 333

Alberto Frias

Providências cautelares do grupo Violas travaram a reunião de acionistas que ia votar a desblindagem de estatutos

A assembleia-geral do BPI para discutir a desblindagem de estatutos foi hoje suspensa, pela segunda vez, para dia 21, de acordo com acionistas ouvidos pela agência Lusa.

A reunião arrancou cerca das 10h na Fundação de Serralves, no Porto, e terminou ainda antes das 11h, sendo que daria continuidade à anterior reunião de 22 de julho, que havia já sido suspensa por 45 dias.

Essa suspensão aconteceu após ter sido conhecido que o tribunal aceitou a providência cautelar do acionista Violas Ferreira Financial no sentido de não poder ser votada a proposta de alteração de estatutos apresentada pelo Conselho de Administração do banco.

As ações do BPI fecharam na segunda-feira a cair 3,04% para 1,09 euros. Esta manhã a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários determinou a suspensão da negociação das ações.

  • CMVM suspende ações do BPI em dia de assembleia geral

    Suspensão da negociação das ações acontece no dia em que os acionistas do banco voltam a reunir-se em assembleia geral para discutir o fim da limitação de votos, quando decorre uma batalha judicial e notícias indicam que a OPA do Caixabank poderá não avançar

  • A Bolsa de Lisboa acordou com as ações do BPI suspensas, à espera de decisões a tomar na assembleia geral desta manhã, e marcada pela aprovação do plano de recuperação da Oi pela administração da operadora brasileira