Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Horta Osório considerado um dos gestores mais influentes em Londres

  • 333

PAULO ALEXANDRINO

O “Financial Times” selecionou as 30 personalidades mais influentes naquela que é uma das principais praças financeiras da Europa. O presidente executivo do Lloyds, o português António Horta Osório, está na lista

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

António Horta Osório, antigo líder do banco Santander em Portugal e atual presidente executivo do britânico Lloyds Bank, é considerado um dos 30 nomes mais influentes em Londres, segundo uma lista publicada pelo “Financial Times” para apresentar quem poderá vir a ser determinante no futuro desta praça financeira.

O “Financial Times” sublinha que foi reconhecida a Horta Osório a capacidade de revitalizar o Lloyds depois da crise financeira, não obstante o banqueiro português ter subestimado o nível de provisões necessárias para o pagamento de seguros.

Horta Osório, que tem 52 anos, viu-se recentemente envolvido num escândalo, depois de o jornal “The Sun” ter noticiado que há dois meses o banqueiro português viajou a Singapura em negócios, acompanhado por Wendy Piatt, antiga conselheira de Tony Blair, com quem Horta Osório alegadamente manterá uma relação extraconjugal.

António Horta Osório enviou uma carta aos colaboradores do Lloyds lamentando que a sua vida pessoal pudesse afetar a reputação do banco e os seus funcionários. Na missiva o banqueiro português garantiu que continuará a bater-se pelos melhores padrões profissionais na gestão do banco.

Na lista das 30 personalidades mais influentes de Londres (enquanto centro financeiro) que o “Financial Times” agora publica estão ainda o CEO do JP Morgan, o argentino Daniel Pinto, a presidente do Royal Bank of Scotland, Alison Rose, e o copresidente do Goldman Sachs, Michael Sherwood.

A lista abrange ainda vários gestores de fundos, o governador do Banco de Inglaterra, a autoridade de supervisão do mercado financeiro em Londres, um editor da Sky News, o secretário de Estado com a tutela do Brexit (David Davis), uma caça-talentos da empresa de recrutamento Heidrick & Struggles, o promotor imobiliário George Iacobescu e o magnata Michael Bloomberg, entre outros.