Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Confiança dos consumidores volta a cair em agosto. Clima económico melhora

  • 333

Nuno Botelho

Indicador de confiança dos consumidores piorou em agosto pelo terceiro mês consecutivo, devido “ao contributo negativo das perspetivas relativas à evolução da situação económica do país, da situação financeira do agregado familiar e do desemprego”, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE). Já o clima económico manteve a subida iniciada em julho

O indicador de confiança dos consumidores diminuiu entre junho e agosto, informa esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Tal deveu-se “ao contributo negativo das perspetivas relativas à evolução da situação económica do país, da situação financeira do agregado familiar e do desemprego”, adianta o INE, ao passo que “as perspetivas relativas à evolução da poupança contribuíram positivamente”.

O indicador de clima económico, por seu turno, aumentou em julho e agosto, após ter estabilizado em junho. Em agosto, os indicadores de confiança aumentaram na indústria transformadora, na construção e obras públicas, no comércio e nos serviços.

“O indicador de confiança da indústria transformadora aumentou entre junho e agosto, refletindo, no último mês, o contributo positivo das perspetivas de produção”, explica o INE. O aumento na construção e obras públicas é “resultado da evolução positiva das opiniões sobre a carteira de encomendas”, no comércio reflete “o contributo positivo do saldo das opiniões sobre o volume de stocks e sobre o volume de vendas”, e nos serviços resulta “da evolução positiva de todas as componentes, apreciações e perspetivas sobre a evolução da carteira de encomendas e opiniões sobre a atividade da empresa”.

Os indicadores de confiança do INE são calculados através de médias móveis de três meses dos saldos de respostas extremas a inquéritos. Um número negativo significa que houve mais respostas pessimistas do que otimistas. Sem a utilização de médias móveis de três meses, o indicador de confiança dos consumidores aumentou nos dois últimos meses e o indicador de confiança na indústria transformadora diminuiu ao longo do mesmo período.