Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

CP reduz prejuízos para 74,2 ME no 1.º semestre deste ano

  • 333

A empresa refere que os resultados do primeiro semestre foram penalizados pelo "impacto negativo" de 2,6 milhões de euros "decorrente da não adesão da CP ao regime especial aplicável aos ativos por impostos diferidos"

A CP registou prejuízos de 74,2 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma redução 44,4 milhões de euros face ao resultado líquido negativo registado no mesmo período do ano passado, informou hoje a empresa.

No relatório e contas intercalar consolidado hoje enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a CP - Comboios de Portugal afirma que, para esta evolução, "contribuiu essencialmente a melhoria do resultado financeiro, motivada pela redução do passivo financeiro e dos encargos com juros e gastos similares suportados pela empresa".

Também a redução das provisões constituídas e o crescimento dos proveitos de tráfego suportaram a melhoria dos resultados líquidos na primeira metade deste ano.

No entanto, a empresa refere que os resultados do primeiro semestre foram penalizados pelo "impacto negativo" de 2,6 milhões de euros "decorrente da não adesão da CP ao regime especial aplicável aos ativos por impostos diferidos".

A empresa ferroviária encerrou o primeiro semestre com um aumento de 1,2% do número de passageiros, tendo viajado na CP 56.075 pessoas entre janeiro e junho deste ano.

O segmento que registou um aumento mais significativo deste indicador foi o serviço de longo curso, que recebeu 2.850 passageiros na primeira metade do ano, mais 10,6% do que nos mesmos meses de 2015.

Quanto aos proveitos do tráfego, a CP adianta que estes "acompanharam esta evolução positiva" verificada no número de passageiros, "totalizando os cerca de 110 milhões de euros, com um crescimento da ordem dos cinco milhões de euros (+4,6%) face ao [período] homólogo".

No que se refere aos trabalhadores, a CP tinha em junho deste ano 2.646 trabalhadores, menos 2% do que no final de junho de 2015, o que representa uma redução de 62 pessoas no efetivo.