Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Desempregados menos ‘ocupados’

  • 333

Os estágios do IEFP voltaram a dar polémica esta semana e motivaram mesmo investigações do Ministério Público

TIAGO MIRANDA

Número de pessoas em medidas dos centros de emprego caiu 31% num ano. São menos 40 mil pessoas

A moda dos estágios e outras medidas para acelerar a ‘criação’ de emprego já não é o que era. Chegaram a ser mais 170 mil desempregados ocupados em apoios do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) que ajudaram à descida da taxa de desemprego a partir do pico do início de 2013. A taxa que se aproximou de 18% nessa altura teve, depois, uma rápida diminuição que surpreendeu inclusivamente a troika que não encontrava explicação para esta evolução no crescimento económico. Em julho, segundo os últimos dados do IEFP, havia cerca de 100 mil ocupados, menos 40 mil do que um ano antes.

Esta redução dos ocupados dificulta a melhoria dos indicadores do mercado de trabalho já que estas pessoas estão, em muitos casos, fora das estatísticas dos desempregados por serem inativos ou até empregados. O INE só considera desempregado quem não tiver um posto de trabalho e não tenha feito nada para o encontrar. Um ocupado pode não procurar. Nesse caso é inativo. Nos casos em que desempenha uma atividade e tem uma remuneração, por menor que seja, é considerado empregado.

Leia mais na edição deste fim de semana