Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Desde 2009 que o número de desempregados inscritos não era tão baixo

  • 333

Tiago Miranda

O número de desempregados inscritos caiu 6,6% em julho de 2016 face ao mesmo mês de 2015, para cerca de 498 mil pessoas

Há sete anos, desde julho de 2009, que o número de empregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) não descia abaixo do meio milhão. De acordo com a informação mensal do mercado de emprego, divulgada esta segunda-feira pelo IEFP, no final de mês de julho estavam inscritos, como desemprgados 497.633 indivíduos. Uma quebra de 6,6% face ao mesmo mês de 2015 e menos 2,7% do que em junho deste ano. O

Os desempregados inscritos há menos de um ano caíram 4,9% em relação a julho de 2015, enquanto os desempregados de longa duração (igual ou superior a um ano) diminuíram 8,3%.

As novas inscrições também estão a cair. Ao longo do mês de Julho inscreveram-se nos centros de emprego cerca de 47.270 desempregados: menos 16,6% em termos homólogos e menos 4,5% face ao anterior mês de junho.

De acordo com os dados da IEFP, mantém-se como principal motivo de inscrição dos desempregados o "fim do trabalho não permanente", representando 43,6% do total. O conjunto dos "ex-estudantes" ocupa a segunda posição (10,3%), enquanto o motivo "despedido" surge em terceiro lugar (10,2%).

Esta diminuição do número de desempregados inscritos no IEFP pode ser explicada tanto por situações de pessoas em que encontraram emprego, como também por aquelas que foram reencaminhadas para programas de formação, estágias, mas também por aquelas que deixaram de estar inscritas nos centros de emprego depois de terem perdido incentivos, como o subsídio de desemprego.

Os números divulgados esta segunda-feira vão de encontro ao valores publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE): no segundo trimestre de 2016, de abril ao final de junho, a taxa de desemprego fixou-se em 10,8%, o valor mais baixo desde 2011.

O IEFP publica este relatório no mesmo dia em que outras notícias sobre a instituição fazem as primeiras páginas dos jornais desta segunda-feira. De acordo com o "Jornal de Notícias", há empresas que estão a cometer fraude, obrigando os estagiários a devolver parte da sua remuneração. E, segundo o "Público", a vaga de exonerações no IEFP já motivou pelo menos dez processos judiciais contra o Estado.

  • Aumenta número de casais desempregados

    Do total de desempregados casados ou em união de facto registados em julho no Instituto de Emprego, 21.042 referem que o seu cônjuge está igualmente inscrito como desempregado no IEFP, ou seja, mais 111 casais do que há um ano

  • De acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pela Segurança Social, o mês de julho terminou com 215.922 beneficiários do rendimento social de inserção, mais 2764 do que no mês de junho, o que representa um aumento de 1,29%