Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BCE aprova nomes da nova administração da Caixa, mas impõe alterações

  • 333

Luís Barra

O Banco Central Europeu aprovou os nomes dos novos administradores da CGD, avança o “Público”. Mas impôs alterações: António Domingues não pode ser simultaneamente chairman e CEO e número de administradores deve diminuir de 19 para 11

O Banco Central Europeu (BCE) aprovou esta sexta-feira à tarde os novos administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD), segundo avança o jornal “Público”.

Mas chumbou poderes do novo presidente: António Domingues não pode acumular os cargos de presidente do conselho de administração (chairman) e presidente executivo (CEO). Além disso, o número de administradores deverá diminuir dos 19 propostos (sete administradores executivos e 12 não executivos) para apenas 11.

A nova equipa toma posse a 24 de agosto, com os sete nomes apresentados para a administração da Caixa a serem aprovados: além de António Domingues, os nomes incluem Emídio Pinheiro, Tiago Marques, João Tudela Martins, Henrique Cabral Menezes, Pedro Leitão e Paulo da Silva.

Embora os sete tenham sido aprovados, o BCE recusa o modelo de gestão, preferindo que este se mantenha nos moldes atuais, com uma divisão clara entre o chairman e o CEO (atualmente, Álvaro Nascimento e José de Matos). Será por isso necessário encontrar um novo nome para um dos cargos.

  • Deputadas do PS questionam nova administração da Caixa

    Sete deputadas do PS questionam o porquê de “tão baixa representatividade de mulheres na direção da CGD”. Até este momento, só foi avançado o nome de uma mulher para a nova equipa de administração do banco do Estado: Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud