Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas europeias fecham 'mistas'. Lisboa encerra no vermelho

  • 333

Depois de uma sessão de altos e baixos, Amesterdão, Bruxelas, Frankfurt e Milão fecharam com ganhos e Londres, Madrid e Paris encerraram com perdas. O índice Eurostoxx 600 fechou ligeiramente acima da linha de água. PSI 20 em Lisboa desceu 0,3%, mas BCP subiu mais de 1%. Europa perdeu 0,4%

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas europeias fecharam esta quarta-feira ligeiramente em terreno negativo, apesar do índice Eurostoxx 600 ter ganho 0,03% e o Eurostoxx 50 ter subido 0,1%. O índice MSCI para a Europa caiu 0,4% esta quarta-feira, fechando no vermelho pela terceira sessão consecutiva, acumulando uma perda de quase 2%.

O encerramento foi "misto" nas principais praças financeiras europeias, com Bruxelas,Frankfurt, Milão e Amesterdão registando ganhos e Londres, Madrid, Paris e Zurique a fecharem com perdas. O índice Bel 20, belga, liderou as subidas, registando um avanço de 1,06%. No lado das perdas nas principais bolsas, Londres e Madrid recuaram 0,17% e Paris caiu 0,16%. Zurique ficou ligeiramente abaixo da linha de água.

Do lado das perdas esteve, também, a bolsa de Lisboa com o índice PSI 20 a recuar 0,3%, uma descida pelo terceiro dia consecutivo, registando uma queda acumulada de 2,12%. O BCP valozirou 1,1%, depois de perdas de quase 11% nas duas sessões anteriores.

Na sessão asiática, o índice MSCI para a "região" fechou a cair 1,89%, um encerramento no vermelho pela segunda sessão consecutiva, e muito pressionado pela queda nas bolsas de Tóquio e Hong Kong, com o índice Nikkei 225 a recuar 1,9% e o índice Hang Seng a perder 1,79%.

Alguns grandes bancos europeus voltaram a cair em bolsa esta quarta-feira. No índice Eurostoxx 50 (que abrange as cinquenta principais cotadas da zona euro), quatro bancos registaram perdas, com o Unicredit italiano a liderar as quedas, registando uma descida de 2,28%. Deutsche Bank alemão, Santander espanhol e Intesa Sanpaolo italiano tiveram perdas. Na bolsa italiana cinco bancos estiveram em baixa, com o Unicredit e Mediolanum a liderarem as quedas com descidas de 2,28% e 1,47% respetivamente.