Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas da Europa e de Nova Iorque no vermelho pelo segundo dia consecutivo

  • 333

Wall Street e Nasdaq fecharam esta terça-feira em queda. Na Europa, Madrid e Milão lideraram as descidas, com quebras de cerca de 2,8% nos principais índices. Derrocada bolsista de vários bancos italianos. PSI 20 cai 1,8% e BCP perde quase 11% em duas sessões seguidas

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas dos dois lados do Atlântico Norte fecharam esta terça-feira no vermelho pelo segundo dia consecutivo. Na Europa, o índice Eurostoxx 50, das cinquenta principais cotadas da zona euro, perdeu hoje 2%, acumulando uma descida de quase 3% em duas sessões seguidas. Em Nova Iorque, o Dow Jones 30 recuou 0,49%, o S&P 500 caiu 0,64% e o Nasdaq, o índice das tecnológicas, perdeu 0,9%.

Ceticismo em relação aos resultados dos testes de esforço dos 51 principais bancos europeus divulgados na sexta-feira passada e tendência baixista nos preços do barril de petróleo continuam a pesar no comportamento dos investidores. O preço do barril de Brent fechou em 41,99 dólares e a variedade norte-americana cotou-se em 39,80 dólares. O anúncio esta terça-feira, em Tóquio, do pacote de impulso orçamental do governo de Shinzo Abe foi posterior ao fecho da bolsa de Tóquio e não exerceu qualquer impacto positivo nem na Europa nem nos EUA.

Na Europa, as maiores descidas desta terça-feira registaram-se nas bolsas de Madrid, Milão e Atenas, com o Ibex 35 espanhol a perder 2,77%, o MIB italiano a cair 2,76% e o índice geral grego a recuar 2,73%. O PSI 20, da bolsa de Lisboa, perdeu 1,79%. O BCP foi o título que mais caiu do PSI 20, recuando 5,2%. Esta semana, este título já desceu 10,7%.

O sector bancário europeu foi hoje, de novo, fortemente penalizado. No Eurostoxx 50, seis dos maiores bancos da zona euro registaram perdas entre 4% e 7,2%, com o Unicredit italiano a liderar as descidas, caindo 7,15%. Por ordem decrescente de perdas, os restantes cinco foram o Santander e o BBVA espanhóis, o Deutsche Bank alemão, o ING holandês e o BNP Paribas francês. Esta semana, o Unicredit já perdeu quase 17% e o BBVA quase 9%.

Em Milão assistiu-se esta terça-feira a uma derrocada dos titulos de quatro bancos do índice MIB que registaram perdas superiores a 10%. O Monte dei Paschi di Siena, o mais velho banco do mundo que tem estado em foco, que ontem havia subido pouco mais de 0,5%, hoje desceu a pique 16,1%. Os outros três bancos com quebras superiores a 10% foram Banca Popolare Emilia Romagna, Banca di Milano e Banco Popolare.

No Ibex 35, em Madrid, cinco bancos espanhóis registaram quedas entre 4% e 5,5%. Caixa Bank e Banco Popular perderam 5,4%, Santander caiu 5,3%, Sabadell recuou 4,97% e Bankia desceu 4,4%.