Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa de Tóquio fecha no vermelho, antes de governo anunciar estímulos à economia

  • 333

Os índices Nikkei 225 e Topix perderam esta terça-feira cerca de 1,5% antecipando desapontamento em relação ao pacote de 28 biliões de ienes que será anunciado mais tarde. Mercados da Ásia Pacífico seguem quedas da Europa e Nova Iorque do dia anterior

Jorge Nascimento Rodrigues

A Bolsa de Tóquio fechou esta terça-feira em terreno negativo, com os principais índices Nikkei 225 e Topix a perderem 1,47% e 1,64% respetivamente.

Os analistas financeiros admitem que os investidores tenham manifestado “desapontamento” antecipado em relação ao pacote orçamental expansionista a anunciar pelo governo nipónico, tal como reagiram negativamente às mais recentes medidas “modestas” do Banco do Japão na sua reunião de 29 de julho.

No conjunto da Ásia Pacífico, já encerraram no vermelho as bolsas de Sidney, Seul, Taipé, Tóquio e Wellington. À hora de fecho de Tóquio, estavam a negociar em terreno negativo as bolsas das Filipinas, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietname. Na China, os índices compostos de Xangai e Shenzhen estavam em terreno positivo. As bolsas da Índia e da Indonésia estavam, também, a negociar no verde.

As bolsas asiáticas fecharam na segunda-feira com um ganho de 0,72%, segundo o índice MSCI para a "região". Hoje o índice deverá encerrar com perdas.

A onda vermelha esta terça-feira na maioria dos mercados financeiros desenvolvidos, emergentes e de fronteira na Ásia segue os fechos em terreno negativo das bolsas na Europa e em Nova Iorque no dia anterior. Os índices MSCI para a Europa e para os EUA encerraram segunda-feira com perdas de 0,7% e 0,12% respetivamente. Em virtude destas quebras, o índice mundial MSCI recuou 0,1% na primeira sessão de agosto.

O ceticismo em relação aos resultados dos testes de esforço nos 51 principais bancos europeus e a queda dos preços do barril de petróleo influenciaram negativamente o “sentimento” dos investidores na segunda-feira. Os preços do barril de Brent e da variedade norte-americana já caíram mais de 20% desde o pico, no atual ciclo, a 8 de junho, quando chegaram acima de 50 dólares. O preço do barril norte-americano fechou na segunda-feira em 40 dólares. O preço do Brent caiu para 42 dólares.

A bolsa nipónica encerrou antes do gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe publicar os detalhes do pacote de estímulos orçamentais anunciado na semana passada e que deverá envolver 28 biliões de ienes (o equivalente a 245 mil milhões de euros).

O governo deverá esta tarde em Tóquio (manhã na Europa) divulgar as linhas de um orçamento suplementar para o ano fiscal em curso que será o terceiro maior pacote de estímulos anunciado desde agosto de 1992, quando se iniciou a resposta nipónica à crise da sua economia. Os dois maiores pacotes foram lançados em dezembro de 2008 e de 2009 face à grande crise financeira global.

  • Uma reviravolta no 'sentimento' dos investidores a meio da manhã de segunda-feira empurra bolsas europeias de ganhos para perdas. Milão lidera quedas. Sete bancos italianos perdem mais de 3%. BCP abre a ganhar quase 8% e fecha a cair mais de 5%