Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Lucro da EDP Renováveis cai 15% até junho

  • 333

Os resultados líquidos da EDP Renováveis caíram 15% no primeiro semestre do ano, face igual período de 2015, para 59 milhões de euros, anunciou esta terça-feira a energética, num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)

O lucro da EDP Renováveis totalizou 59 milhões de euros no primeiro semestre do ano, o que compara com os 69 milhões de euros contabilizados no mesmo período de 2015. Caiu 15%. Segundo a empresa liderada por João Manso Neto, o resultado líquido ajustado aumentou, no entanto, em 9%, para 78 milhões de euros (ajustado por eventos não recorrentes e diferenças cambiais).

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa revela que as receitas avançaram 15%, para os 889 milhões de euros entre janeiro e junho, "beneficiadas principalmente pelo aumento da capacidade em operação" e o pelo superior fator de utilização (mais 25 milhões de euros face ao primeiro semestre de 2015), que mitigaram o efeito negativo do menor preço de venda (menos 20 milhões).

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) aumentou 18%, para 648 milhões de euros. E os resultados financeiros líquidos aumentaram em 30 milhões de euros no primeiro semestre, totalizando os 179 milhões de euros, sendo negativamente afetados por eventos não recorrentes relacionados principalmente "com o cancelamento antecipado e otimização de determinados 'project finances' na Europa".

Em junho, a EDP Renováreis geria uma carteira global de 9,7 GW (gigawatts), repartidos por 10 países, dos quais 9,4 GW consolidados integralmente e 356 MW consolidados pelo método de equivalência patrimonial (participações em Espanha e nos Estados Unidos).

Nos últimos 12 meses, a empresa adicionou 581 MW (megawatts) à sua capacidade instalada, dos quais 299 MW nos Estados Unidos.

O investimento operacional totalizou os 378 milhões de euros, "espelhando a capacidade adicionada no período, os trabalhos relativos à capacidade em construção e a beneficiação da capacidade em operação", refere a empresa em comunicado. Do total de 378 milhões de euros, 282 milhões foram investidos na América do Norte, 53 milhões na Europa e 43 milhões no Brasil.

O investimento operacional na América do Norte representou 75% do total investido no período, "refletindo a estratégia de crescimento da EDPR, baseada em mercados com enquadramentos regulatórios e contractos de longo-prazo estáveis, proporcionando visibilidade nos retornos futuros". A Europa representou 14% do investimento operacional total do período e o Brasil representou 11%.