Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Inflação na zona euro sobe 0,1% em junho

  • 333

A inflação homóloga na zona euro saiu de terreno negativo em junho, divulgou esta sexta-feira o Eurostat. A inflação em Portugal é a mais elevada nos cinco periféricos do euro, com Espanha e Itália a permanecerem com taxas negativas

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação na zona euro saiu de terreno negativo em junho, depois de dois meses consecutivos com os preços no consumidor a caírem. Em junho, a inflação subiu 0,1%, em termos homólogos, ou seja, em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo dados do Eurostat, o organismo de estatísticas da União Europeia.Em maio tinha registado -0,1% e em abril -0,2%.

No conjunto da União Europeia a inflação homóloga em junho foi de 0%, depois de ter registado uma quebra de -0,1% no mês anterior.

Em termos de inflação subjacente, descontando as variações nos sectores energético, alimentar, álcool e tabaco, a variação na zona euro em junho foi de 0,9%, acima de 0,8% registado no mês anterior. As quebras de preços nos combustíveis, no gás e no óleo de aquecimento continuam a pesar negativamente no índice de preços geral.

O Banco Central Europeu reúne-se na próxima quinta-feira com a inflação em terreno positivo, ainda que perto da linha de água, mas muito distante da sua meta de política monetária de abaixo mas próximo de 2%.

Em relação a maio, segundo o Eurostat, a inflação caiu em dois membros da União Europeia (República Checa e Chipre), permaneceu estável em oito e subiu em 17.

No grupo dos periféricos do euro, a inflação mais elevada regista-se em Portugal, subindo de 0,4% em maio para 0,7% em junho, segundo o índice harmonizado. A inflação portuguesa é positiva desde o início do ano. A Grécia melhorou, ao subir de -0,2% em maio para 0,2% em junho. A Irlanda também passou de terreno negativo para positivo, com a inflação a subir de -0,2% em maio para 0,1% em junho. Em terreno negativo, permanecem as variações do índice para Espanha e Itália, ainda que tenham melhorado. A inflação em Espanha subiu de -1,1% para -0,9%, a pior situação nos periféricos. Em Itália, a inflação subiu de -0,3% em maio para -0,2% em junho.

As piores situações registam-se em Chipre (-2%), Bulgária (-1,9%) e Croácia (-1,2%). Estes três países registam inflação negativa desde início do ano. Os níveis de inflação mais elevados verificam-se na Bélgica (1,8%), Suécia (1,2%) e Malta (1%).

Fora da União Europeia, a Suíça está em deflação desde início do ano e a Noruega regista uma taxa de 4,1%.