Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Trabalhadores da Caixa reúnem-se com Marcelo esta quinta-feira

  • 333

JOSÉ COELHO

O tema dos despedimentos na CGD subiu à agenda mediática. A Comissão de Trabalhadores vai reunir-se com o Presidente da República e já pediu um encontro com António Costa e Mário Centeno. Querem saber qual a orientação para o banco

A Comissão de Trabalhadores (CT) recebeu ontem uma carta por correio eletrónico dos presidentes José de Matos (executivo) e Álvaro Nascimento (não executivo) a despedirem-se dos trabalhadores por antecipação. Não há uma data oficial para a saída, a imprensa aponta para dia 30 julho, mas o Expresso apurou que poderá ser até meados deste mês.

A Caixa Geral de Depósitos vai cortar 2500 trabalhadores entre 2017 e 2020, através de reformas e saídas por acordo, segundo a informação transmitida pelo Governo ao sindicato que representa os funcionários do banco público.

Jorge Canadelo, da CT, afirma que a missiva foi recebida com agrado, porque Matos e Nascimento agradeceram "o espírito de serviço" dos trabalhadores.

A Comissão de Trabalhadores vai encontrar-se com o Presidente da República, a 7 de Julho. O objetivo é perceber quais irão ser as orientações estratégicas para o banco público no âmbito da recapitalização, como será tratado o tema das remunerações dos trabalhadores e as recisões noticiadas de 2500 funcionários. "Nunca compreenderemos que haja despedimentos", disse Jorge Canadelo ao Expresso. E alegou: "Se a política de rescisões for de diminuir os quadros gradualmente, incidindo as saída na aposentação antecipada ou natural, já compreendemos. É o que tem sido feito nos últimos anos".

A CT pediu também para se encontrar com o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Mas até agora não obteve qualquer resposta.

A missiva de Matos e Nascimento também chegou às Finanças no dia 21 de junho. A carta pode ser entendida como uma forma de acelerar o processo, a nomeação da nova administração, liderada por António Domingues, arrasta-se há meses. A mandato da atual administração acabou em dezembro de 2015.