Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

EMEF entrega ‘novo’ Alfa em outubro

  • 333

João Oliveira

Negócios aumentam. EMEF dá lucros e paga dívida em cinco anos

O primeiro comboio Alfa Pendular totalmente renovado em Portugal, que deverá ser colocado a operar na rede ferroviária nacional daqui a três meses — em outubro —, servirá de ‘montra’ para o mercado internacional, “comprovando o que a EMEF — Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário é capaz de fazer na renovação exterior e interior de comboios a meio da sua vida útil”, comenta o diretor geral da EMEF, Alberto Castanho Ribeiro. A EMEF renovará totalmente a frota dos 10 comboios Alfa que operam na CP, um trabalho pelo qual vai faturar €18 milhões. Para Castanho Ribeiro, “a atividade de remodelação de comboios é um dos vários segmentos de negócio onde estão detetadas oportunidades para a EMEF que lhe permitirão aumentar a faturação, assegurando, em 2016, o terceiro ano consecutivo com lucros”.

“Como as grandes empresas operadoras ferroviárias não têm disponibilidade para renovar o seu parque de comboios, terão de recorrer mais frequentemente à renovação do equipamento a meio da sua vida útil e, nesse sentido, o trabalho de modernização exterior e interior dos Alfa portugueses será uma excelente referência para o que a EMEF consegue fazer, de forma a ganhar mais contratos deste tipo”, refere o diretor-geral.

“Um dos mercados com maior potencial para as operações de renovação de comboios é o Reino Unido — que está liberalizado e onde os operadores terão de optar por soluções menos onerosas, recorrendo a remodelações da frota em vez de comprarem equipamentos novos —, mas agora, depois do ‘Brexit’, teremos aguardar para ver como vai evoluir o clima de negócios industriais com empresas da União Europeia”, comenta Castanho Ribeiro.

O contrato da renovação dos Alfa é um dos vários negócios em que a EMEF pretende aumentar a sua especialização, até para desenvolver a sua estratégia de internacionalização. “O crescimento da atividade da EMEF permitiu que em 2015 tivesse apresentado lucros pelo segundo ano consecutivo — com um resultado líquido de €1,378 milhões, o que corresponde a um aumento de 52% face aos resultados positivos apresentados em 2014 — e este ano, no primeiro semestre, já temos um resultados positivo da ordem de €1,5 milhões e as perspetivas para o segundo semestre permitirão fechar o ano novamente com um crescimento relativamente aos resultados do ano anterior”, revelou Castanho Ribeiro. “Ou seja, consolidámos a gestão da EMEF e temos condições para eliminarmos a dívida da empresa no prazo de cinco anos”, admite o gestor. Aliás, em 2015 o volume de negócios da empresa cresceu 6% em termos homólogos, ascendendo a €58 milhões e isso já permitiu reduzir em 20% o passivo, diminuindo €600 mil à dívida da empresa, que totaliza €16,45 milhões (no final de maio).

No crescimento da atividade da EMEF, Castanho Ribeiro aposta no investimento numa nova oficina de rodados — onde serão aplicados €7,5 milhões. Mas este ano, o diretor-geral da EMEF diz que a empresa está a desenvolver três grandes projetos no valor global de €40 milhões — entre os quais está a remodelação dos Alfa Pendular. Os restantes dois grandes projetos são a revisão geral — por altura dos 960 mil quilómetros — de 35 comboios da frota “Eurotram” do Metro do Porto, no valor de €10,6 milhões, e ainda a manutenção ligeira de toda a frota do Metro do Porto, durante os próximos dois anos, no valor de €11,3 milhões.

Para executar estes trabalhos a EMEF contratou, em abril, mais 85 trabalhadores qualificados, reforçando as equipas nas suas oficinas de Guifões e do Entroncamento. Castanho Ribeiro explica que “no final do primeiro trimestre de 2016, foi implementado um novo modelo de gestão, baseado em unidades de negócios, cuja fase inicial ocorreu no parque do Entroncamento, visando focar as equipas numa gestão por objetivos, de aumento da eficiência e da produtividade”.