Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa. 1.º semestre correu bem a Amorim e Soares dos Santos

  • 333

Rui Duarte Silva

Corticeira Amorim, Galp, Jerónimo Martins e Sonae Capital valorizaram no primeiro semestre. Desde janeiro, as 18 empresas do PSI 20 perderam 4,2 mil milhões de capitalização

Corticeira Amorim (21%), Jerónimo Martins (18%), Galp (17%) e Sonae Capital (7%) foram as cotadas do PSI 20 que brilharam num primeiro semestre que se revelou horrível para a bolsa portuguesa.

O semestre correu bem para as famílias Amorim, em dose dupla (Corticeira e Galp) e Soares dos Santos (JM) que ficaram mais ricas pelo critério da capitalização bolsista. A Galp, um valorizou 1,45 mil milhões – um quinto do valor pertence a Américo Amorim. Boas notícias também para Isabel dos Santos e Sonangol.

Com 52% da JM, a família Soares dos Santos reforçou em 720 milhões de euros a fortuna contabilística.

Sonae em perda

Já a valorização da Sonae Capital é fraco consolo para a família Azevedo que sofreu um rude golpe com a desvalorização acentuada (33%) da Sonae SGPS. A principal holding da família Azevedo perdeu no semestre 710 milhões de euros.

A Sonae é apenas uma das empresas que não escapou ilesa da sova que o mercado português está a levar. No primeiro semestre, o PSI 20 perdeu 16%, destruindo 4,2 mil milhões de euros de capitalização bolsista.

BCP lidera perdas

O maior desastre verificou-se no BCP, com uma desvalorização de 64% no semestre. O BPI aguentou-se (+2%) pela rede de segurança da oferta do Caixabank, mas a verdade é que a banca europeia esteve toda ela sob fogo dos investidores – o sector perdeu 32%.

O colapso da banca é um dos factos relevantes do semestre que esta quinta-feira terminou, marcado pelo Brexit e pela decisão da Reserva Federal Americana de não subir taxas e que teve no sector mineiro (+17%) o sector mais próspero.

Novo semestre, novo sentimento? É pouco provável, as incertezas são muitas. Mas, a avaliar pela abertura da bolsa esta sexta-feira, dia 1, o semestre promete ser positivo. As bolsas europeias abriram em alta. Em Lisboa, o PSI abriu a ganhar 0,4%, impulsionado pelas subidas do BCP (3,8%), EDP (1,3%) e Sonae (0,7%).