Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“Desastres” do BPN, BPP, BES e Banif custaram €17,1 mil milhões em cinco anos

  • 333

Manuel Sebastião, ex-presidente da Autoridade das Concorrência, estima que a “soma simples dos custos dos quatro desastres”, BPN, BPP, BES e Banif, entre 2010 e 2015, aponta para 17,1 mil milhões de euros, o que se traduz num igual aumento da dívida pública, o equivalente a 9,5 % do PIB

Manuel Sebastião, que criticou a gestão da banca, sublinhou que a dimensão destes custos foi dramática nas contas públicas. "Entre 2010, o último ano antes do bail out, e 2015, ano seguinte ao fim do período de ajustamento da Troika, a redução do saldo orçamental foi de 12,2 mil milhões de euros, e do saldo primário foi de 15,1 mil milhões de euros", afirmou no colóquio sobre "O financiamento do crescimento: Desafios e ameaças da União Bancária", a decorrer hoje na Associação Comercial de Lisboa.

O ex-presidente da Autoridade da Concorrência (AdC) defendeu ainda que "toda a contenção orçamental primária foi inferior aos custos destes quatro desastres". Manuel Sebastião falava num painel onde estão também o professor da Universidade Nova, Paulo Pinho, e o ex-presidente da CGD, João Salgueiro.

"O que se espera de quem dirige é que lidere no sentido de perceber o que se passa e encontrar soluções para o problema", defendeu. Sublinhou ainda que em Portugal há um problema de liderança.