Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Depois de dois dias 'negros', bolsas da Europa abrem em alta

  • 333

O índice das 50 principais cotadas na zona euro abre a subir mais de 2%. A bolsa de Milão lidera o movimento de alta. PSI 20 segue a tendência europeia, registando um avanço de 1,6%. Libra está a valorizar-se e preço do ouro a descer

Jorge Nascimento Rodrigues

Ao terceiro dia pós-Brexit as bolsas europeias abrem em terreno positivo. Os índices globais Eurostoxx registam ganhos. O Eurostoxx 50 – das cinquenta principais cotadas na zona euro – está a subir 2,2% e o Eurostoxx 600 – que abrange 600 títulos de elevada, média e pequena capitalização em 18 países europeus – avança 1,8%.

Nove bolsas europeias abriram com ganhos superiores a 2%, entre elas as principais, Londres, Frankfurt e Paris. O índice MIB da bolsa de Milão lidera as subidas, com ganhos acima de 3%. Em Madrid, o IBEX 35 sobe mais de 2%. A bolsa de Lisboa abriu em linha com a tendência europeia. O PSI 20 está a ganhar 1,6%.

A bolsa da City, que tem estado no epicentro do terramoto político provocado pelo Brexit, abriu hoje em alta. O FTSE 100 (das 100 principais cotadas) está a ganhar 2% e o FTSE 250 (dos títulos que integram o índice londrino entre as posições 101 a 350 nas 350 maiores cotadas) sobe 2,4%. A City está a reagir positivamente, apesar da Standard & Poor's ter ontem retirado, ao fim de 38 anos, a notação de triplo A da dívida do Reino Unido, cortando-a para AA, e a Fitch, horas depois, ter cortado em mais um nível o rating do país, alinhando-o com a notação da S&P.

Ao contrário dos movimentos das duas últimas sessões, o preço da onça do ouro está a descer, ainda que se mantenha acima de 1300 dólares ( um patamar que galgou na ‘sexta-feira negra’ da semana passada, com a corrida dos investidores a valores refúgio), e a libra esterlina (a moeda britânica) está a subir 0,4%, valendo mais em dólares, mas mantendo-se no patamar de 1,32 dólares por libra. O preço do barril de petróleo Brent – a variedade europeia de referência internacional – está a subir no patamar dos 48 dólares.

Ásia fechou ‘mista’

A Ásia fechou ‘mista’, com as bolsas chinesas a liderarem as subidas esta terça-feira. As bolsas de Sidney e Hong Kong fecharam no vermelho. A bolsa de Tóquio fechou ‘mista’, com o índice Nikkei 225 a encerrar pouco acima da linha de água (ganhos de 0,09%) e o índice TOPIX a cair ligeiramente 0,09%. O índice composto de Xangai subiu 0,58% e o índice composto de Shenzhen (a bolsa das tecnológicas, no Sul) avançou 1,22%.

O Japão tem procurado travar o efeito do Brexit. Ontem, o governo nipónico realizou uma reunião conjunta com o Banco do Japão para uma resposta aos efeitos globais negativos da decisão saída do referendo britânico e podetrá lançarum pacote de estímulos equivalente a 88 mil milhões de euros.. Na China, o primeiro-ministro Li Keqiang, no Fórum Económico Mundial realizado em Tianjin, referiu que “é difícil evitar volatilidade de curto prazo nos mercados de capitais da China, mas não serão permitidas mudanças drásticas”. O governo da Coreia do Sul anunciou hoje que avançará com uj pacote de estímulos equivalente a 15,3 mil milhões de euros.

O índice MSCI para a região fechou ontem em terreno positivo (subindo 0,41%), puxado pelos ganhos em Tóquio (2,4%), em contracorrente com as perdas na Europa, Nova Iorque e nos mercados emergentes.