Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Reviravolta. Bolsa de Madrid vira para o vermelho, seguindo tendência europeia

  • 333

JAVIER SORIANO/GETTY

Depois de uma fulgurante abertura em alta, o índice Ibex 35 da bolsa de Madrid já está a negociar no vermelho. PSI 20, em Lisboa, cai 1%. Todas as principais praças financeiras europeias estão no vermelho, com o FTSE 100 em Londres a perder 1,2%

Jorge Nascimento Rodrigues

Menos de uma hora e meia depois da abertura das bolsas na Europa, a 'ilha' madrilena sucumbiu à maré vermelha europeia. O índice Ibex 35, depois de ter aberto a subir quase 3%, inverteu a trajetória, e está a recuar 0,3%, uma queda a pique em relação à abertura. O índice denota enorme volatilidade, pelo que poderemos assistir a novas inversões de trajetória.

A bolsa de Estocolmo continua a liderar as quedas, com o índice OMXS30 em derrocada, perdendo quase 6%. Em Lisboa, o índice PSI 20 cai 1%. O FTSE 100 na City londrina recua mais de 1%. Todas as principais praças financeiras europeias estão no vermelho. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) perde mais de 1% e o índice Eurostoxx 600 cai mais de 1,5%..

A libra esterlina continua a descer em relação ao fecho de 'sexta-feira negra' (24 de junho), quando acumulou uma queda de mais de 8%. O câmbio desceu. agora, para 1,33 dólares, depois de ter fechado na sexta-feira em 1,368. A quebra neste ínicio de segunda-feira situa-se acima de 2%.

Os futuros em Wall Street estão em terreno negativo.

A Ásia fechou a sessão desta segunda-feira em terreno ‘misto’, com Shenzhen e Tóquio a liderarem as subidas, e Hong Kong e Taiwan a encerrarem esta segunda-feira no vermelho.

O índice composto de Shenzhen, a bolsa das tecnológicas chinesas, fechou a subir 2,43%, mais do que o índice Nikkei 225 de Tóquio, que avançou 2,39%. Em Xangai, o índice composto registou um ganho de 1,45%. Tóquio, Xangai, Shenzhen e Hong Kong são as quatro principais bolsas da Ásia.

O governo nipónico incentivou esta segunda-feira o Banco do Japão a tomar todas as medidas que forem necessárias para travar os efeitos negativos globais do Brexit aprovado no referendo britânico da semana passada.

  • As praças financeiras caíram 4,8% a 24 de junho depois de anunciado o Brexit e recuaram 1,5% durante a semana. As perdas semanais globais foram de um bilião de euros. Maiores quedas na Europa e Tóquio. Lisboa perdeu mais ontem com o Brexit do que com o Grexit em fevereiro

  • Bolsa de Madrid sobe perto de 3% e juros da dívida espanhola caem

    Depois do reforço da posição do Partido Popular nas eleições legislativas de domingo e da derrota do objetivo do Podemos em se situar em segunda lugar, como vaticinavam as sondagens, o índice Ibex 35 destaca-se esta segunda-feira a subir na Europa e os juros das obrigações espanholas desceram 13 pontos base na abertura