Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa de Madrid sobe perto de 3% e juros da dívida espanhola caem

  • 333

Denis Doyle/GETTY

Depois do reforço da posição do Partido Popular nas eleições legislativas de domingo e da derrota do objetivo do Podemos em se situar em segunda lugar, como vaticinavam as sondagens, o índice Ibex 35 destaca-se esta segunda-feira a subir na Europa e os juros das obrigações espanholas desceram 13 pontos base na abertura

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas na Europa abriram com Madrid a destacar-se pela positiva. Na bolsa de Madrid, o índice Ibex 35 avançava quase 3% na abertura. Mas, no vermelho, estão as bolsas de Estocolmo, que lidera as quedas, com o índice OMX50 a perder mais de 5%, Amesterdão, Bruxelas, Frankfurt, Londres, Paris e Zurique, ou seja, as principais praças financeiras europeias estão em queda. O índice FTSE 100 na City londrina cai 0,4%. O índice PSI da bolsa de Lisboa estava a oscilar abaixo e acima da linha de água, mas deverá seguir a tendência negativa europeia.

A bolsa espanhola recolhe, na abertura desta segunda-feira, o efeito da consolidação da posição no Congresso e no Senado do Partido Popular, partido do governo em gestão, e da derrota do objetivo da coligação Unidos Podemos em ficar em segundo lugar nas eleições legislativas que decorreram este domingo.

A trajetória global de evolução na Europa é negativa, com a bolsa de Madrid a destacar-se como 'ilha'. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) estava em terreno negativo. Face à trajetória global europeia negativa, o índice espanhol poderá inverter o movimento de alta.

O impacto do Brexit (vitória da opção de saída do Reino Unido da União Europeia no referendo britânico de quinta-feira passada) prolonga-se. A libra estava a perder 2% face ao dólar no início da sessão europeia. O preço da onça de ouro está a subir face ao fecho de sexta-feira passada, estando acima de 1330 dólares. A semana será marcada pela cimeira europeia que se inicia na terça-feira.

No mercado secundário da dívida, as yields das obrigações espanholas a 10 anos desceram, na abertura, para 1,51% depois de terem fechado na 'sexta-feira negra' (24 de junho) em 1,64%.

  • As praças financeiras caíram 4,8% a 24 de junho depois de anunciado o Brexit e recuaram 1,5% durante a semana. As perdas semanais globais foram de um bilião de euros. Maiores quedas na Europa e Tóquio. Lisboa perdeu mais ontem com o Brexit do que com o Grexit em fevereiro