Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sexta-feira negra. Europa abre com quedas entre 9% e 17%

  • 333

RALPH ORLOWSKI

Derrocadas bolsistas na abertura da Europa depois de vitória do Brexit. Ibex 35 da bolsa de Madrid cai mais de 16%. PSI 20 com quebra de mais de10%. Títulos do BCP afundam-se 18%. Londres com descida de mais de 9%. Libra cai 8,5%

Jorge Nascimento Rodrigues

Depois da derrocada na bolsa de Tóquio com o índice Nikkei 225 a cair 7,9%, a maré vermelha chegou esta sexta-feira à Europa, com as principais praças financeiras a registarem quedas entre 9% e 17% na abertura. Perfigura-se uma sexta-feira negra nos mercados bolsistas depois da vitória do Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) no referendo britânico de quinta-feira.

O índice Ibex 35, da bolsa de Madrid, abriu a perder 16,3%. Os índices CAC 40 de Paris e AEX de Amesterdão descem mais de 10%. O índice PSI 20, da bolsa de Lisboa, abre a cair 10,4%, com os titulos do BCP a afundarem-se 18%. A bolsa de Londres, no epicentro do terramoto político gerado pela vitória do Brexit, cai 9%.

O câmbio da moeda britânica prosseguiu uma trajetória de queda a pique até às 7h20 (hora de Portugal), descendo para um mínimo desde 1985 de 1,3229 dólares por libra. Na abertura dos mercados europeus, a libra troca-se por 1,3629 dólares. A queda desde o fecho de quinta-feira soma 8,5%.

No mercado de commodities, o ouro não tem parado de se valorizar desde o anúncio das primeiras vitórias locais do Brexit. Às 3h30 (hora de Portugal) o preço da onça do metal amarelo ultrapassou a barreira dos 1300 dólares, fixando um novo pico do ano e um máximo desde meados de julho de 2014. Na abertura dos mercados europeus, o preço da onça está em 1328,05 dólares, uma subida de 4,6% em relação ao fecho de ontem.

Os analistas referem a possibilidade de ser acionado um mecanismo de garantia de liquidez aos mercados, baseado em linhas de swaps cambiais, estabelecido entre um G6 de bancos centrais. O mecanismo existe desde 2013 entre o Banco Central Europeu, Banco de Inglaterra, Banco do Japão, Banco Nacional Suíço, Banco da Reserva do Canadá e Reserva Federal norte-americana. O Banco de Inglaterra já o assegurou esta sexta-feira.