Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BCP afunda 15,6% e é quem mais perde com o nervosismo provocado pelo Brexit

  • 333

Lisboa, como Bolsa periférica, é uma das mais penalizadas da Europa com a decisão de saída da União Europeia de Inglaterra. Não há um único título do PSI20 em terreno positivo, e o BCP lidera as perdas, com uma desvalorização de 15,6%. OS CTT, com muitos fundos na estrutura acionista, recua 14,4%

Foi um acordar difícil para os mercados financeiros europeus, e a incerteza provocada pela saída de Inglaterra está a levar a uma derrocada nas bolsas do velho continente. Lisboa é das que mais perde. Pouco depois do meio dia, o PSI20 recuava 7,8%. "A economia portuguesa acaba por ser uma das mais prejudicadas com a mudança de paradigma das relações com a economia britânica. Um estudo de uma consultora londrina conhecido recentemente apontava Portugal como o quarto país mais afectado com o cenário do Brexit. O setor do turismo, um dos principais serviços exportados para o Reino Unido, pode mesmo sofrer de forma imediata", afirma Pedro Ricardo Santos, gestor da XPT Portugal. E prossegue: "Este desfecho é preocupante para os exportadores e de uma forma geral para o país".

O BCP, já muito fragilizado pela possibilidade de ter de vir a aumentar o capital, é quem mais perde. O título do banco liderado por Nuno Amado está a desvalorizar 15,61%, e as ações estão a baixo dos 20 cêntimos, cotando-se a 17,3 cêntimos. Os CTT, cuja estrutura acionista é composta por muitos fundos internacionais, é o segundo mais penalizado, com uma perda de 14,47%. O BPI, o outro banco cotado no mercado português, está cair 5% par 1,07 euros.

Com fortes descidas está também a Mota Engil (-10,65%), a Sonae (-9,29%), a EDP (8,34%) e a NOS (-7,9%).