Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas não acreditaram no Brexit

  • 333

Nova Iorque fechou esta quinta-feira com ganhos nos principais índices acima de 1,2%. Na Europa, Milão liderou o otimismo, com o índice MIB a registar um avanço de 3,7%. PSI 20 da bolsa de Lisboa encerrou com uma subida de quase 1,5%. Londres seguiu a tendência das praças do Continente

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas dos Estados Unidos e da Europa fecharam com ganhos esta quinta-feira, não acreditando na vitória do Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, no referendo que hoje se realizou. O índice MSCI para a Europa subiu 2,1% e o índice MSCI para os Estados Unidos avançou 1,36%. O desempenho destas duas 'regiões' puxou pelo índice MSCI global que registou ganhos de 1,36%.

Os principais índices das bolsas de Nova Iorque encerraram a sessão a subir mais de 1,2%, recuperando de uma queda de 0,2% na quarta-feira. Os ganhos foram de 1,29% para o Dow Jones 30, 1,34% para o S&P 500 e 1,59% para o Nasdaq. O índice de volatilidade associado ao S&P 500 desceu quase 18,5% esta quinta-feira, depois de ter subido 15% no dia anterior.

Na Europa, a maioria das bolsas encerrou em terreno positivo, com exceção de Chipre, Letónia e Luxemburgo. A liderar as subidas, o índice MIB da bolsa de Milão que avançou 3,71%.A subida desse índice na bolsa milanesa ultrapassou os ganhos de 3,6% para o índice Merval da bolsa de Buenos Aires e 3,19% para o índice NSE da bolsa nigeriana.

Com ganhos também significativos na Europa incluem-se os índices Ibex 35, de Madrid, e CAC 40, de Paris, que avançaram 2,1% e 1,96% respetivamente. O índice FTSE 100, da bolsa de Londres, subiu 1,23%.

O PSI 20, da bolsa de Lisboa, ganhou hoje 1,49%. Os melhores desempenhos nesse índice couberam à Navigator (Grupo Portucel-Soporcel) e ao BCP que subiram mais de 3,5%. No vermelho fecharam a Altri que caiu 4,2%, e a Mota-Engil que perdeu 1,2%.

Recorde-se que a primeira "região" a fechar a negociação desta quinta-feira foi a Ásia Pacífico que, no conjunto, registou um ganho de 0,38% no índice MSCI respetivo.

Nos mercados de commodities, à hora do encerramento de Nova Iorque (21h em Portugal), o preço do barril de petróleo de Brent fechou em 50,87%, uma subida de 2% em relação ao encerramento do dia anterior, e o preço da onça de ouro desceu 0,4% em relação a quarta-feira fixando-se em 1260,7 dólares.

Nos mercados cambiais, a libra esterlina atingiu um pico do ano durante a sessão chegando a trocar-se por 1,4947 dólares. Fechou pelas 21h em 1,4884 dólares, uma subida de 0,6% em relação ao dia anterior. A libra subiu nas duas últimas sessões consecutivas.

À hora de fecho de Nova Iorque ainda não haviam encerrado as urnas no Reino Unido.

Já na madrugada vão abrir as bolsas da Nova Zelândia, Austrália, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Hong Kong, Xangai e Shenzhen.

  • Depois de ter atingido um máximo do ano subindo para 1,5018 dólares, a libra esteve em queda vertical desde as 23h30 baixando para 1,4428 dólares e voltou a subir

  • Wall Street e Nasdaq abriram esta quinta-feira registando avanços nos seus principais índices. Volatilidade desceu em Nova Iorque. Bolsas de Milão, Madrid e Paris lideram subidas na Europa. Libra em novo máximo do ano