Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Filipe de Botton nega venda da Logoplaste

  • 333

O presidente executivo da Logoplaste, Filipe de Botton, negou ao Expresso que haja operações do Credit Suisse e da Goldman Sachs para vender participações no capital da Logoplaste

Filipe de Botton é peremptório: "Nego que esteja em curso qualquer operação de alienação de capital da Logoplaste", referiu ao Expresso o presidente executivo do grupo que gere fábricas de produção de embalagens e vasilhas plásticas. O responsável da Logoplaste nega que estejam em curso operações de venda de participações a potenciais novos acionistas do grupo português de produção de embalagens rígidas de plastico organizadas pelo Credit Suisse ou pela Goldman Sachs, e nega igualmente que o fundo de capital de risco Carlyle esteja em negociações para comprar uma participação da Logoplaste. "Nenhuma das notícias que foram publicadas nos jornais está correta, é tudo falso", garantiu ao Expresso Filipe de Botton.

O executivo da Logoplaste adianta que as informações publicadas pelo El Economista "não são corretas e não têm fundamento". O jornal espanhol dava como certo que o fundo de capital de risco Carlyle está em negociações avançadas para comprar uma posição na Logoplaste, explicando que a Carlyle avaliou a Logoplaste em 660 milhões de euros, atribuindo-lhe um múltiplo de avaliação superior a oito vezes o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) da empresa.

Vários jornais de informação económica e financeira referem que o Crédit Suisse recebeu no final de março a "missão de procurar alternativas de financiamento para o crescimento internacional do grupo português". No final da semana passada, Filipe de Botton, negou ao Expresso que a Goldman Sachs estivesse envolvida numa operação financeira semelhante.