Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas europeias fecham com ganhos, mas Lisboa regista queda

  • 333

Uma forte recuperação nas bolsas europeias na última hora e meia de negociação desta terça-feira. Índice PSI 20, de Lisboa, reduz queda inicial, mas fecha a perder 0,8%. Draghi garante que BCE está preparado para todas as eventualidades

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas europeias fecharam esta terça-feira em terreno positivo, com o índice geral de Atenas a liderar as subidas. Uma forte recuperação na última hora e meia de negociação, afastou algumas das bolsas, que flutuaram acima e abaixo da linha de água durante o dia, de encerrarem no vermelho. O índice MSCI para a Europa fechou a ganhar 0,14%, uma pálida subida face a 4,42% registado no dia anterior. Apesar da recuperação se estender à bolsa de Lisboa na última hora e meia, o índice PSI 20 fechou em queda, ainda que tenha reduzido as perdas iniciais.

O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas na zona euro) fechou a subir 0,8% e o índice Eurostoxx 600 (abrangendo seiscentas cotadas em 18 países europeus) encerou com um ganho de 0,93%. A liderar as subidas desta terça-feira, o índice geral de Atenas que registou um avanço de 4,2%, depois da praça grega ter estado encerrada na segunda-feira, feriado de Pentecostes. Entre as principais bolsas europeias, o índice AEX de Amesterdão liderou as subidas, registando um ganho de 1%.

Algumas bolsas importantes que, durante a sessão registaram variações dos seus principais índices acima e abaixo da linha de água, acabaram por fechar com ganhos, em virtude da recuperação na última hora e meia de negociação. Foram os casos de Madrid, Milão, Londres e Zurique. Também bolsas de menor importância, como Helsínquia e Varsóvia acabaram for encerrar com ganhos. Lisboa e Oslo mantiveram-se em terrem negativo.

O índice PSI 20, da bolsa de Lisboa, que esteve a cair mais de 1% durante grande parte da sessão desta terça-feira, fechou a perder 0,77%, com os títulos do BCP a se afundarem 7,5%.

A volatilidade do índice Eurostoxx 50 subiu ligeiramente em relação ao fecho do dia anterior.

A Europa abrira em terreno negativo esta terça-feira, depois da Ásia Pacífico ter fechado com um ganho de 0,71%, segundo o índice MSCI respetivo. O Velho Continente recebeu hoje boas noticias do Tribunal Constitucional alemão (que não deu razão às queixas contra o programa OMT do Banco Central Europeu), da subida dos indicadores ZEW de "sentimento económico" na zona euro e na Alemanha, e do Mecanismo Europeu de Estabilidade que anunciou o desembolso da tranche a Atenas.

A Europa registou, assim, o terceiro dia consecutivo de subidas, mas o crescimento foi muito modesto (0,14%), o mais baixo das três "regiões" principais (Ásia Pacífico, Europa e Estados Unidos). Na segunda-feira, o índice MSCI para a Europa ganhou 4,42% e na sexta-feira anterior avançou 2,26%. A dinâmica de subida abrandou substancialmente esta terça-feira.

Perante a Comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, o presidente do Banco Central Europeu garantiu, esta tarde, aos deputados que o banco da moeda única está preparado para todas as eventualidades face ao referendo britânico de quinta-feira. Mario Draghi foi a Bruxelas para o segundo “diálogo monetário” do ano, dois dias antes do referendo britânico, e com o jornal “Financial Times”, na sua mais recente atualização desta terça-feira, a apontar para uma vantagem de um ponto percentual da parte da opção Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia).