Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Tripulantes de cabine aprovam acordo com a TAP

  • 333

José Carlos Carvalho

Tripulantes dos voos para Boston e Nova Iorque vão usufuir de um período de descanso adicional e de uma compensação monetária. Greve já não avança

Foi aprovado por unanimidade o acordo entre a TAP e os tripulantes, que ameaçaram avançar com uma greve caso a companhia não alterasse as condições de descanso nas novas rotas para os EUA, disse ao Expresso a presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Amélia Passo.

“O acordo resume-se basicamente ao facto de não haver de descanso nos novos aviões, sendo assegurada agora uma compensação em repouso adicional”, explicou a dirigente sindical.

Além do direito a mais uma folga, os tripulantes que estarão presentes nestes voos de longo curso vão usufuir também de uma “compensação monetária”. Dado que o planeamento das escalas na TAP é feito a dois meses, o pessoal de voo da companhia aérea poderá pedir para gozar outra uma folga mais tarde. “Em agosto estará já tudo normalizado”, acrescentou.

De acordo com a presidente do SNPVAC, a TAP ao não colocar mais um lugar de descanso neste aviões [para a tripulação], vai poupar, sendo que a compensação em termos de descanso era o cerne da questão e a parte monetária só um pró-forma. “Se formos de irregularidade em irregularidade e a empresa não for penalizada vai haver uma desregulação geral. Os tripulantes exigiram melhores condições e alertaram para a possibilidade de uma greve, como medida de antecipação para o caso de não cumprirem o que está acordado.”

Na quarta-feira, o SNPVAC realizou uma assembleia-geral para votar o acordo que já tinha sido anunciado pelo presidente-executivo da companhia aérea no sábado, durante a cerimónia de inauguração do voo para Boston. Fernando Pinto afirmou que este era um “caso arrumado” e que o acordo alcançado – durante as negociações com o sindicato – atendia às preocupações dos tripulantes que se queixavam das condições de descanso nas rotas de Boston e Nova Iorque.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) ameaçou na semana passada avançar com uma greve, se a TAP não alterasse as condições de descanso dos tripulantes nas rotas de Boston e Nova Iorque. Em declarações à Lusa, o vice-presidente do SNPVAC, Nuno Fonseca, alegou que estava em causa um período de descanso adicional para os tripulantes dos voos operados pelos dois Airbus A330 – que foram cedidos pela companhia aérea Azul, de Navid Neeleman –, dado que “durante os voos não estão asseguradas condições de descanso”, acusando a companhia aérea de não respeitar o que está previsto no Acordo de Empresa, em vigor desde 2006.

  • Em vésperas de inaugurar a rota Lisboa-Boston, no próximo sábado, a TAP enfrenta uma ameaça de greve por parte do pessoal de voo, que promete dar luta caso a companhia não altere as condições de descanso nas rotas de Boston e Nova Iorque, operadas pelos aviões cedidos pela Azul. TAP diz que o diálogo prossegue e mantém a expectativa de alcançar um acordo