Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Juros da dívida. Novos mínimos na Alemanha, Japão, Suíça e Reino Unido

  • 333

Os juros das obrigações alemãs a 10 anos chegaram a regressar a terreno positivo durante a manhã desta quarta-feira, mas fecharam em -0,009%. Japão e Suíça fixam novos mínimos em juros negativos. Juros das Obrigações portuguesas a 10 anos foram os que mais desceram nos periféricos

Jorge Nascimento Rodrigues

Mais uma sessão no mercado secundário da dívida soberana marcada por mínimos históricos nos valores de fecho das yields das obrigações alemãs, japonesas, suíças e britânicas no prazo de referência a 10 anos.

O “sentimento” negativo e de corrida a valores encarados como “refúgio” continua a ser influenciado pelo risco de Brexit (vitória de um sim à saída do Reino Unido da União Europeia no referendo de 23 de junho), pelas críticas crescentes dentro da zona euro à política monetária do Banco Central Europeu, pela incerteza sobre o processo de subida em 2016 das taxas de juro pela Reserva Federal norte-americana, que divulga pelas 19h (hora de Portugal) as decisões da reunião de hoje, e em em relação a novas medidas de estímulos monetários pelo Banco do Japão que divulgará as decisões na quinta-feira.

No caso das obrigações alemãs naquele prazo de referência, conhecidas pela designação de Bunds, as yields regressaram a terreno positivo durante a manhã desta quarta-feira, chegando a subir para 0,019%, para, depois, caírem, de novo, para taxas negativas, tendo encerrado em -0,009%, um novo mínimo histórico em valores de fecho. À hora do leilão de dívida a 10 anos realizado pelo Tesouro alemão, as yields no mercado secundário estavam em terreno positivo, e a taxa média paga no leilão ficou em 0,01%, abaixo de 0,14%, registado no leilão anterior daquela linha de obrigações a vencer em 2026.

Também o Japão e a Suíça fixaram hoje novos mínimos históricos em terreno negativo. As yields das obrigações nipónicas a 10 anos caíram para um novo recorde de -0,189%, o mesmo sucedendo, no prazo a 15 anos, com as yields a fecharem em -0,024%. No caso das obrigações suíças a 10, 15 e 20 anos, as yields caíram para novos mínimos históricos em terreno negativo. No prazo de referência, as yields desceram para -0,505%.

No Reino Unido, as yields das obrigações a 10 anos fecharam esta quarta-feira em 1,12%, um novo mínimo histórico. Estas taxas estão a cair consecutivamente desde 25 de maio. A 24 do mês passado, estavam em 1,47%.

Juros da dívida portuguesa lideram descidas nos periféricos

As yields das Obrigações do Tesouro português a 10 anos desceram esta quarta-feira quatro pontos base fechando em 3,35%. A descida interrompeu uma subida contínua desde 9 de junho.

O movimento de descida esta quarta-feira incluiu Espanha, Grécia e Irlanda, mas as reduções foram inferiores à verificada para Portugal. As yields das obrigações italianas naquele prazo de referência ficaram sem alteração.

Apesar da descida, as yields das obrigações gregas a 10 anos continuam acima de 8%. Na quinta-feira, o Eurogrupo (órgão de reunião dos ministros das Finanças da zona euro) e o Mecanismo Europeu de Estabilidade deverão dar luz verde ao desembolso da primeira parte da segunda tranche do resgate a Atenas, cujo montante de 7,5 mil milhões de euros deverá chegar à Grécia ainda antes do referendo britânico a 23 de junho.