Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Dívida alemã a 10 anos com juros negativos pela primeira vez

  • 333

O movimento em tesoura prossegue na zona euro. Os juros das obrigações alemãs desceram esta terça-feira para -0,007%, um novo mínimo histórico. Juros das Obrigações do Tesouro português e dos restantes periféricos continuam trajetória de subida

Jorge Nascimento Rodrigues

As yields das obrigações alemãs a 10 anos desceram esta terça-feira, pela primeira vez, para terreno negativo. Pelas 10h15 (hora de Portugal) caíram para -0,007%, um novo mínimo histórico e a trajetória é de descida continuada. Às 9h (horas de Portugal) passaram, pela primeira vez, a terreno negativo.

A zona euro regista um movimento em tesoura nas yields da dívida obrigacionista no prazo de referência, com as economias do centro revelando uma queda continuada do custo de financiamento da dívida e os países periféricos com uma trajetória ascendente.

As yields das Obrigações do Tesouro português no prazo de referência, a 10 anos, subiram esta terça-feira, pelas 10h15 (hora de Portugal), para 3,28%, seis pontos base acima do fecho do dia anterior. A maior subida regista-se para as obrigações gregas, que saltaram para quase 8%, apesar do Eurogrupo e do Mecanismo Europeu de Estabilidade dever aprovar na quinta-feira o desembolso da primeira parte da segunda tranche do empréstimo e dar por concluído o primeiro “exame” ao terceiro resgate.

O fator Brexit – vantagem do sim à saída do Reino Unido da União Europeia nas sondagens sobre o referendo de 23 de junho - está a influenciar o “sentimento” dos investidores nos mercados financeiros.

As obrigações japonesas a 15 anos registaram esta terça-feira, pela primeira vez, yields negativas, tendo fechado em -0,03%. A 10 anos registam -0,163%. Na Europa, as obrigações suíças descem cada vez mais em terreno negativo: as taxas negativas já se estendem até ao prazo a 20 anos inclusive, que fechou com as yields em -0,092%.

  • Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos subiram esta segunda-feira para 3,22%. Movimento de subida é geral aos periféricos. Analistas dizem que a “culpa” é do Brexit e que juros das obrigações alemãs vão descer, em breve, para valores negativos