Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

FMI avisa que dívida das empresas chinesas é “um problema sério”

  • 333

ALY SONG / REUTERS

Equipa do Fundo Monetário Internacional visita a China até terça-feira. A instituição está preocupada com o elevado nível de endividamento da economia chinesa

O Fundo Monetário Internacional (FMI) lançou um alerta sobre a galopante dívida das empresas chinesas e o risco que tem para o crescimento económico do país, com o vice-presidente da instituição a avisar que se trata de “um problema sério”.

“A dívida empresarial continua a ser um problema sério - e crescente - que tem de ser atacado de imediato e com o compromisso de reformas sérias”, declarou David Lipton, braço-direito de Christine Lagarde na administração do FMI, citado pelo “Financial Times”.

Uma equipa do fundo está por estes dias na China numa missão de avaliação ao país que termina na próxima terça-feira. No primeiro trimestre deste ano a dívida total chinesa (pública e privada) atingiu um nível recorde de 237% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2007 situava-se em 148% do PIB.

O FMI está preocupado não só com a China mas também com as repercussões do elevado endividamento na economia mundial.

“Ao longo dos últimos 20 anos constatámos repetidas vezes como as disrupções na economia e nos mercados de um país se podem repercutir a nível global”, notou David Lipton, durante uma visita a Shenzhen.

“Com o rápido aumento na expansão do crédito em 2015 e início de 2016, e as contínuas taxas elevadas de investimento, o problema está a crescer”, declarou o número 2 do FMI, citado pelo “Financial Times”. “É importante que a China o enfrente a breve prazo”, recomendou David Lipton.