Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas europeias em baixa, depois das exportações da China em maio terem caído

Principais praças europeias em queda depois de ser conhecido que em maio as exportações da China desaceleraram, enquanto as importações aumentaram. Bolsa de Lisboa abriu em alta e mantém a tendência

As principais bolsas europeias estavam esta quarta-feira de manhã em baixa, depois de ser conhecido que em maio as exportações da China desaceleraram, enquanto as importações aumentaram.
Cerca das 09:00 em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a descer 0,63%, para 3.021,64 pontos.
As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a cair 0,04%, 0,59% e 0,47%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão que estavam a recuar 0,65% e 0,55%.
Depois de ter aberto em alta, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e à mesma hora o principal índice, o PSI20, estava a valorizar-se 0,29%, para 4.871,33 pontos, depois de ter descido a 11 de fevereiro para 4.460,63 pontos, um mínimo desde julho de 2012.
Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta na terça-feira, com o Dow Jones a subir 0,10%, para 17.938,28 pontos, depois de ter avançado a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.
A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1365 dólares, contra 1,1356 na terça-feira.
O Banco Central Europeu (BCE) fixou na terça-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,1348 dólares.
O barril de petróleo Brent, para entrega em agosto, abriu hoje em alta, a cotar-se a 51,53 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,19% do que no encerramento da sessão anterior.