Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Capoulas vai candidatar quase €500 milhões ao Plano Juncker

  • 333

David Clifford

Objetivo é replicar o sucesso do Alqueva e, a ser aprovado, será o primeiro grande projeto de infraestruturas e inovação de Portugal a obter os novos fundos de Bruxelas

A novidade foi avançada pelo primeiro-ministro no seu discurso de encerramento do Congresso do Partido Socialista, no último domingo. António Costa anunciou a “inclusão de um grande projeto de regadio” no Plano Juncker, programa de financiamento que tem 315 mil milhões de euros para distribuir pelos países da União Europeia.

Costa não deu mais pormenores. Mas ao que o Expresso apurou, o projeto pretende replicar o sucesso do Alqueva em mais 90 mil hectares, espalhados por todo o país, e implica um investimento total de 476 milhões de euros, um número apurado pelo Expresso. O Ministério da Agricultura, das Florestas e do Desenvolvimento Rural (MAFDR) já concluiu a candidatura, mas “estão ainda em curso os procedimentos normais neste tipo de negociações”, de acordo com fonte oficial.

Na próxima quinta-feira, o ministro da Agricultura Capoulas Santos vai sobrevoar o Alqueva, acompanhado pelo comissário europeu da Agricultura Phil Hogan, de visita a Portugal. Mostrando o ‘ex-libris’ português e as suas culturas, o governante pretende sensibilizar Hogan para a importância da expansão do regadio em Portugal, apelando ao seu apoio à candidatura portuguesa deste Plano Nacional de Regadios.

A candidatura, ainda “em negociações”, pretende obter entre 200 a 220 milhões de euros para a expansão do Alqueva: atualmente, os 120 mil hectares originais deste projeto já são de regadio, mas o MAFDR acredita que, investindo em tecnologia, será possível regar mais 45 mil hectares nesta região. O restante montante da candidatura de 476 milhões de euros, cerca de 250 milhões, servirá para requalificar a rede de regadios espalhada pelo território nacional, para “que se possa levar a outras bacias hidrográficas aquilo que é o sucesso do Alqueva”, afirma a mesma fonte.

Se for aprovado, este será o primeiro grande projeto de infraestruturas e inovação português a garantir o apoio do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, mais conhecido por Plano Juncker – o plano europeu que pretende mobilizar um investimento adicional de 315 mil milhões de euros para os Estados-membros da União Europeia.

De acordo com os últimos dados divulgados pela Comissão Europeia na semana passada, o Plano Juncker já financiou 64 grandes projetos europeus, no valor de 9300 milhões de euros, mas nenhum deles, até ao momento é português.

Mais regadio

O anterior Governo, liderado por Assunção Cristas, já tinha dado luz verde à Estratégia para o Regadio Público, para o período 2014-2020. Mas o PS foi mais longe no seu programa eleitoral e apontou para a criação de um “Plano Nacional de Regadios”, que prevê aumentar a área de regadio, a reabilitação e modernização dos perímetros de rega degradados, assim como a criação de novas áreas com potencial de ligação ao regadio.

Em fevereiro passado, o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, afirmou que nos quatro meses seguintes estariam identificadas todas as áreas e necessidades do sistema de regadio nacional.