Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ações do BCP em novo mínimo e Pharol cai 13%

  • 333

Descidas na Bolsa de Lisboa estendem-se à Sonae Capital e à Mota-Engil, onde foi anunciada a entrada de Paulo Portas

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, está hoje em baixa, com a Pharol a liderar as perdas, a cair quase 13%, e o BCP a descer 3,62%, para um novo mínimo, de 0,0213 euros.
Cerca das 9h05 em Lisboa, o PSI20 estava a cair 0,18%, para 4.773,09 pontos, com sete 'papéis' a desvalorizarem-se, oito a subirem e três inalterados, depois de ter descido a 11 de fevereiro passado para 4.460,63 pontos, um mínimo desde julho de 2012.
Além das ações da Pharol - que estavam a cair 12,84%, para 0,129 euros - as da Sonae Capital e da Mota-Engil (onde foi anunciada a entrada do ex-ministro Paulo Portas) eram outros dos que maiores decréscimos na cotação registavam, estando a cair 2,01%, para 0,586 euros, e 1,41%, para 1,678 euros.

Em sentido inverso, as ações do BPI estavam a subir 1,14%, para 1,154 euros, mais 3,68% do que o preço de 1,113 euros da Oferta Pública de Aquisição (OPA) do CaixaBank sobre as ações do banco que ainda não controla.

Os 'papéis da Navigator e da Semapa eram outros dos que maiores acréscimos registavam, estando a subir 1,77%, para 2,877 euros, e 1,05%, para 10,63 euros.

Bolsas europeias em alta

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje de manhã em alta, com os investidores a seguirem a tendência registada em Wall Street, que se valorizou mais de 0,60%, e na Ásia, onde o Nikkei subiu 0,58%.
Os investidores reagiram positivamente às palavras da presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, numa mesa redonda com empresários e estudantes, que confirmou a intenção da entidade de subir as taxas de juro, ainda que não tenha precisado as datas.
Yellen assegurou esperar que, apesar da economia dos Estados Unidos enfrentar "incertezas notáveis", as suas perspetivas são "maioritariamente positivas" e reiterou que o ajustamento monetário gradual é o apropriado.
Hoje, os investidores aguardam a publicação do relatório semestral das perspetivas económicas globais do Banco Mundial.
Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta na segunda-feira, com o Dow Jones a subir 0,64% para 17.920,33 pontos, depois de o índice ter subido em 19 de maio de 2015 até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.
A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1354 dólares, contra 1,1366 na segunda-feira.
O barril de petróleo Brent, para entrega em agosto, abriu hoje em baixa ligeira, mas acima dos 50 dólares, a cotar-se a 50,46 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,01% do que no encerramento da sessão anterior.