Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Vieira Monteiro vai ser reconduzido no Santander

  • 333

José Caria

O atual presidente do Banco Santander Totta, António Vieira Monteiro, vai ser reconduzido esta terça-feira num novo mandato de três anos à frente da instituição, como avançou o Expresso no passado mês de janeiro. A reunião magna de acionistas começou às 10 horas

Isabel Vicente com Lusa

O atual presidente do Banco Santander Totta, António Vieira Monteiro, deve ser hoje reconduzido num novo mandato de três anos à frente da instituição.

A 29 de janeiro o Expresso, já tinha avançado que Vieira Monteiro tinha sido convidado pelo grupo Santander a manter-se na liderança do Santander Totta. O mandato da atual administração terminou em dezembro. O presidente do Santander Totta estava dísponível para continuar mais três anos à frente do banco, cargo que ocupa desde 2012. Digerir a aquisição do Banif é um dos desafios do banco que, ao longo destes anos de crise, conseguiu sempre manter lucros em Portugal. O banqueiro trabalha há 46 anos no sector financeiro.

Os ex-ministros socialistas António Vitorino e Luís Campos e Cunha vão integrar, como independentes, o Conselho de Administração (CA) do Santander Totta, com cargos não executivos, segundo a proposta que vai ser votada na assembleia-geral anual, que se realiza na sede do banco em Lisboa.

Nos termos da proposta de eleição dos órgãos sociais para o triénio 2016/2018 enviada em meados de maio pelo Santander Totta à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o CA do banco passa a integrar três mulheres, já que Inês Oom de Sousa e Remedios Ruiz Macia juntam-se a Isabel Mota, que já era membro (independente) daquele órgão.

António Basagoiti mantém-se como presidente do CA, continuando também na vice-presidência António Vieira Monteiro (que permanece ainda como presidente da Comissão Executiva) e Enrique Candelas (não executivo).

De acordo com o banco, dois dos elementos não executivos do CA - Angel Rivera Congosto e Remedios Ruiz Macia - são oriundos do grupo financeiro espanhol Santander, que detém quase na totalidade o capital do Santander Totta.
Entre os vários pontos em discussão, está a proposta de aplicação de resultados do exercício de 2015, na qual é referido um lucro de €568,4 milhões.

Este valor, além do resultado líquido de €291,3 milhões comunicado pelo Santander Totta relativamente ao exercício de 2015, incorpora também o 'badwill' relativo à aquisição do Banif.

Em janeiro, o espanhol Banco Santander inscreveu 283 milhões de euros de resultados positivos não recorrentes pelo Banif, explicando tratar-se de um "badwill" pela aquisição do banco português, o que significa que o Santander está a considerar que o preço pago é mais baixo do que o seu justo valor.

Em 20 de dezembro de 2015, o Governo e o Banco de Portugal anunciaram a resolução do Banif, com a venda de parte da atividade bancária ao Santander Totta, por €150 milhões, e a transferência de outros ativos - incluindo 'tóxicos' - para uma nova sociedade veículo.

(atualizada às 11h02)