Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Diretor da TVI assume-se como primeiro responsável pela divulgação da noticia do Banif

  • 333

Luís Barra

A 13 de dezembro de 2015, a TVI noticia em nota de rodapé que o Banif ia ser alvo de uma resolução, informação que precipitou a saída de quase €1000 milhões de depósitos do banco na semana seguinte. Sérgio Figueiredo afirma que “ninguém desmentiu, a não ser um comunicado do Banif”

O diretor da TVI está neste momento a prestar declarações aos deputados sobre a noticia que o canal que dirige revelou no domingo dia 13 de dezembro, uma semana antes da resolução e venda do Banif e que conduziu a uma corrida aos depósitos do banco na manhã seguinte. Na segunda-feira saíram do Banif duzentos milhões de euros, um valor que foi subindo ao longo da semana chegando a cerca de €1000 milhões em depósitos.

Sérgio Figueiredo, diretor da TVI, garante que a notícia surge na sequência de um episódio de novembro depois de o atual primeiro-ministro, António Costa, ter afirmado que havia mais um caso grave na banca que podia rebentar a qualquer momento. Era uma informação estava "a ser investigada por todas as redações deste país", admite. Tudo indicava, como veio a ser esclarecido depois que se tratava do Banif, diz.

O diretor de informação da TVI assume que na base da notícia estiveram muitas as fontes anónimas e documentos que iam no sentido da resolução. A partir do momento em que "recebi da redação do canal a informação de que a resolução ia ser desencadeada", foram contactadas várias fontes, incluindo as partes interessadas. O objetivo era atestar a "veracidade da informação". E a notícia avançou. Passou em nota de rodapé do programa desportivo.

E sublinha: "a partir desse momento (a divulgação da notícia) transforma-me no primeiro responsável". "Nem todas as informações que chegaram foram utilizadas. Houve um filtro e o dr. Jorge Tomé (ex-presidente do Banif) foi contactado", acrescenta.

Questionado pelo deputado do PSD, Carlos Abreu Amorim, sobre se a gestão do Banif foi contactada antes de a notícia ter sido lançada, Sérgio Figueiredo reitera que as partes foram contactadas, não dizendo contudo se antes ou depois da revelação. Dá porém a entender que foram ouvidas fontes não oficiais.

Sérgio Figueiredo esclarece ainda que foram os jornalistas da TVI que tiveram acesso a esta informação. "Como tínhamos o nosso comentador económico nas instalações pedi para ir em socorro (da redação). Conheço o António Costa há mais de 20 anos, foi meu jornalista no Diário Económico e ele próprio falou com o dr. Jorge Tomé". Este contacto permitiu, prossegue, que "há meia noite a informação estivesse consolidada e falada entre as partes interessadas". Sérgio Figueiredo disse ainda a pedido do deputado social-democrata que António Costa é colaborador e não quadro da TVI.