Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fernando Ulrich: “O BPI não é parte do sistema”

  • 333

O presidente do BPI diz que se sente completamente ao lado do que tem ouvido hoje na conferência sobre o crédito malparado e o fraco crescimento económico

Fernando Ulrich, presidente do BPI, entrou a matar na conferncia organizada pela A^ssociação Portuguesa de Bancos e a TVI quando disse: "não venham com conversas sobre o sistema e os problemas do sistema. Há pessoas sérias e pessoas que não são sérias".

O problema do malparado nao afeta o BPI e "temos dos melhores rácios de crédito em risco e quando olho para essa carteira vejo-me ao espelho". Ulrich assume que em alguns casos e sobre o aumento das imparidades desde 2007 ate agora "estão todos identificados, provisionados e existem porque ou analisamos mal, ou tendo analisado bem estava muito concentrado".

Ou seja, o presidente do BPI não se revê no conjunto de bancos que defende ou precisa de um veiculo para acomodar o crédito tóxico que em alguns bancos pesa demasiado no balanco dos bancos .

Revolta sobre regra no BCE

Ulrich diz que ouviu com atenção tudo o que fou dito durante a conferência da parte da manhã e dos problemas inerentes à banca e aos desafios do presente e do futuro mas deixou uma crítica as instâncias europeias . "As instâncias europeias tem regras muito difíceis. O BPI tem um banco em Angola, onde detém 50,1 por cento, e nao percebo porque é que existe uma regra para nos expulsar de Angola".

Segundo o BCE a exposiçãoo do BPI ao Banco de Fomento Angola tem de ser reduzida porque não reconhece que a supervisão angolana seja equiparada à europeia.

"Desgosta-me que ninguém se incomode com isso. Ouvimos falar de lusofonia de Portugal no mundo mas quando existem materias concretas ninguém faz nada. Zero absoluto", afirma ulrich sobre a exposição do BPI a Angola E acrescenta: estive há 15 dias com o presidente do Banco Nacional de Angola e disse me que o BFA é uma referência e um exemplo".