Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal vai ter hotéis para estudantes

  • 333

O novo hotel em Amesterdão representa o modelo que a The Student Hotel quer replicar em toda a Europa. Mensalidades para estudantes vão de €945 a €1100 e diárias para turistas de €100 a €400

Cadeia The Student Hotel com sede na Holanda vai acelerar a expansão para ter 40 hotéis na Europa, e já está a negociar projetos em Lisboa e no Por

Um hotel que também é uma residência de estudantes, tem empresas a funcionar em coworking (trabalho partilhado) e até inclui um espaço de apoio a refugiados? O hotel inaugurado a 15 de abril em Amesterdão representa o modelo que a cadeia The Student Hotel quer replicar em toda a Europa, passando da atual coleção de sete para 40 unidades até 2020. Este “ambicioso plano de expansão” vai envolver investimentos de €375 milhões, e contempla a abertura de um hotel no Porto em 2018 e de outro em Lisboa em 2019.

A diferença do conceito hoteleiro assenta em criar unidades “com a atmosfera de um hostel”, mas com “o design e a qualidade de um hotel”, resume Charlie MacGregor, fundador e CEO (presidente executivo) da cadeia The Student Hotel. A “fórmula inovadora”, que garante ocupação no hotel o ano todo, é quase um ovo de Colombo: durante o período letivo, “quando a batalha pelo alojamento de estudantes está ao rubro”, o foco vai para os jovens universitários e, no verão, “quando a maioria dos estudantes vai embora e a cidade precisa de quartos para os turistas, enchemos os nossos hotéis com viajantes”. Nesta altura, cerca de 80% da capacidade do The Student Hotel Amesterdam City, que tem mais de 700 quartos, está ocupada com estudantes, cujas mensalidades que variam entre €945 e €1100 — ao mesmo tempo que as diárias para turistas nos próximos dias vão de €258 a €389, segundo uma pesquisa na Booking. Estudantes a ficar por um semestre ou turistas só por uma noite cruzam-se ainda com pessoas a trabalhar para empresas que precisam de alojamento por umas semanas.

Estudantes a conviver com homens de negócios

“Estamos a criar um novo tipo de hotel nesta indústria, em que todos são bem-vindos”, frisa Charlie McGregor. “É fantástico ver estudantes a conviver com homens de negócio, reformados ou famílias, que tradicionalmente ficam em hotéis Hilton ou Marriott”.

Com uma atual coleção de hotéis em várias cidades holandesas, além de Barcelona e Paris, a The Student Hotel quer multiplicar o conceito na Europa, onde o mercado de estudantes estrangeiros está em crescimento. Com um conceito assente em hotéis no mínimo com 350 quartos, perto do centro das cidades e a funcionar em edifícios reabilitados, Portugal é um alvo privilegiado neste plano de expansão da cadeia com sede na Holanda.

“Lisboa e Porto são cidades onde queremos muito estar. Não está a ser fácil encontrar aqui edifícios para o tipo de projetos que pretendemos, mas havemos de chegar lá”, sustenta MacGregor.

O Porto é o projeto mais amadurecido, estando a abertura do hotel prevista para 2018. “A cidade tem uma atmosfera fantástica, as universidades estão a crescer muito rapidamente e toda a gente concorda que o Porto precisa de um hotel para estudantes”, refere Frank Uffen, sócio de Charlie MacGregor, adiantando que estão a ser analisados edifícios no Porto “que não são atrativos para escritórios e localizados entre o centro e as universidades”, com vista a abrir um hotel com 400 quartos (entre os quais o edifício do jornal “JN”, na Rua Gonçalo Cristóvão, junto à estação da Trindade). A cadeia hoteleira virada para os millennials (geração que nasceu nos anos 80 ou 90), também também quer investir em Lisboa.

Segundo Frank Uffen, em Portugal já estão a ser negociadas parcerias com a Universidade Católica, a Startup Lisbon ou a Uniplaces, com vista a criar soluções para alojar empresas ou pôr estudantes a circular em cursos de verão. “Podemos até ter uma universidade a funcionar no hotel. Porque não? Isto é uma sociedade aberta, é o futuro”.