Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Famílias têm tanto dinheiro agora como há dez anos

  • 333

O rendimento monetário disponível médio por agregado familiar em 2014 situou-se ao nível de 2004, revela o Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com os resultados definitivos do Inquérito às Condições de Vida e Rendimento, agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o rendimento monetário disponível médio por agregado familiar foi de 17 017 euros anuais em 2014, ou seja, 1 418 euros por mês.

Dez anos antes, o rendimento monetário disponível médio por agregado familiar era de 16 999 euros, o que equivale a situar o nível de rendimento de 2014 no patamar de 2004, diz o INE.

A leitura da série estatística permite identificar três períodos em Portugal. Entre 2004 e 2009, registou-se um primeiro período de crescimento contínuo deste rendimento que subiu 10,2%. Entre 2010 e 2013, registou-se um segundo período de quebras deste rendimento, que caiu 9,6%. Já em 2014, o último ano disponível, o rendimento monetário disponível médio registou um aumento face ao ano anterior, de 82 euros por agregado familiar.

O INE acrescenta que a análise dos resultados a preços constantes de 2014 revela um crescimento em termos reais de 0,3% em 2009 face a 2004, muito atenuado quando comparado com o crescimento em termos nominais antes referido (10,2%). Ao contrário, a quebra do rendimento médio em 2010- 2013 em termos reais (-16,5%) resulta bastante mais significativa por comparação com os valores nominais.

Os resultados deste Inquérito às Condições de Vida e Rendimento permitiram ainda concluir que o rendimento monetário disponível mediano por adulto equivalente foi, em termos nominais, de 8 435 euros em 2014. Em 2014, bem como no ano anterior, registaram-se variações anuais positivas do rendimento monetário disponível por adulto equivalente: 0,6% em 2013 e 2,5% em 2014.