Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Receitas da PT Portugal caem 4%

  • 333

No primeiro trimestre de 2016, a redução das receitas da operadora foi sentida em todos os segmentos, com exceção do móvel. EBITDA cresce 20%

As receitas consolidadas da PT Portugal, no final do primeiro trimestre de 2016, atingiram 568,3 milhões de euros, caindo 4% relativamente ao período hómologo anterior. De acordo com os resultados da operadora divulgados pela Altice, o grupo francês do qual a PT Portugal faz parte desde junho de 2015, esta quarta-feira, a redução das receitas foi sentida em todos os segmentos, com exceção do móvel.

Segundo o comunicado da empresa, no segmento residencial, os proveitos do móvel aumentaram 3,8%, até aos 142 milhões de euros. Contudo, as receitas do serviço fixo reduziram 1%, caindo para 174,3 milhões de euros.

Já no segmento empresarial, todavia, as descidas são mais expressivas, com a faturação perto dos 108 milhões de euros, o que se traduz numa queda de 8%. Por seu turno, os proveitos do móvel quebraram 10%, ficando-se nos 51,8 milhões de euros.

De acordo com a Altice, em 2015, o EBITDA consolidado da PT Portugal (resultados antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) cresceu 20%, situando-se agora nos 275 milhões. A margem EBITDA passou de 38,7% para 48,4%, de 2014 para 2015.

Ao nível do grupo francês, as receitas consolidades caíram 2,7%, para 4,2 mil milhões de euros, com o EBITDA a aumentar 0,8%, atingindo 1,6 mil milhões de euros. A margem EBITDA aumentou de 36,6% para 37,9%.

MEO investe mais

No primeiro trimestre deste ano, a MEO investiu um total de 64,8 milhões de euros, mais 96% do que no mesmo período do ano passado, quando o pacote de investimento atingiu 64,8 milhões.

Com 4,8 milhões de casas cabladas, das quase 2,4 milhões com fibra ótica, a MEO chegou a março deste ano com 412 mil clientes com rede fibra. No total, 91% dos clientes subscrevem pacotes de serviços.

Em 2015, a MEO fechou as contas com 1,19 milhões de geradoras de receitas no segmento da fibra. A receita média única por utilizador fixou-se nos 41,1 euros. Destes 1,19 milhões de clientes, 405 mil eram subscritores do serviço de televisão, com a MEO a conseguir captar mais 8 mil assinantes para este serviço entre janeiro e março deste ano.

Já no serviço de banda larga, através da rede de fibra, angariou mais 10 mil clientes, num total de 381 mil, enquanto no segmento de telefone fixo somou mais 8 mil clientes para um total de 407 mil clientes.

Por seu turno, no segmento móvel, a MEO alcançou 6,1 milhões de clientes (2,7 milhões pós-pagos), angariando 35 mil novos clientes no primeiro trimestre. Neste segmento, a receita única por utilizador fixa-se nos 6,9 euros, mais dez cêntimos do que no período homólogo de 2015.