Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas europeias fecham "mistas". Preço do Brent baixa

  • 333

Frankfurt e Zurique lideram ganhos esta segunda-feira, mas Londres, Madrid e Milão fecham com perdas. PSI 20, em Lisboa, recua quase 0,9%. Preço do barril de petróleo cai para menos de 44 dólares

Jorge Nascimento Rodrigues

Esta segunda-feira, as bolsas de Frankfurt e Zurique lideraram os ganhos nas principais praças do Velho Continente, mas Londres, Madrid e Milão encerraram com perdas. A Europa fechou “mista” tal como ocorreu com a Ásia Pacífico, mas, enquanto o índice MSCI para esta última "região" recuou 0,47%, o índice MSCI para aquela subiu 0,21%. O índice SMI suíço avançou 1,3% e o DAX alemão ganhou 1,1%. O MIB italiano perdeu 0,78%, o Ibex 35 espanhol caiu 0,56% e o FTSE 100 londrino recuou 0,14%

Em Nova Iorque, a situação é similar pelas 16h30 (hora de Portugal) – os dois principais índices de Wall Street estão em terreno negativo, mas o índice geral do Nasdaq, a bolsa das tecnológicas, negoceia em terreno positivo.

Na bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 fechou esta segunda-feira com um recuo de 0,86%, com as ações da Altri a afundarem-se 5,68%. O PSI 20 fecha no vermelho pela segunda sessão consecutiva.

O preço do barril de petróleo de Brent fechou a sessão asiática em alta, perto dos 46 dólares, com um ganho de 0,8% em relação a sexta-feira passada, mas iniciou uma trajetória de descida a partir de meio da manhã da sessão europeia. Aquando do encerramento do mercado bolsista europeu, o barril de Brent cotava-se em 43,8 dólares, uma quebra de 3,4% em relação ao preço de fecho da semana passada e de mais de 5% face à cotação no encerramento da sessão asiática de hoje.

As mudanças ministeriais na Arábia Saudita decididas este fim de semana levaram ao afastamento do ministro dos Petróleos Ali al-Naimi e à sua substituição por Khalid al-Falih do grupo do príncipe Mohammed bin Salman – o segundo na linha de sucessão no trono saudita – que é o novo homem forte da estratégia do reino petrolífero. Os analistas estão a interpretar esta remodelação como significando que baixou a probabilidade de um acordo para o congelamento da produção do cartel a 2 de junho em Viena na reunião da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo).

Esta alteração política no líder do cartel petrolífero anulou o efeito negativo no mercado provocado pelo fogo gigantesco na província de Alberta onde se centram explorações petrolíferas canadianas em areias betuminosas, uma catástrofe que estava a alimentar a alta de preços nas últimas duas sessões.

Desde 18 de abril que a cotação do Brent não fecha abaixo de 44 dólares. Cotou-se acima de 48 dólares no final de abril. As sessões diárias no mercado petrolífero têm registado uma elevada volatilidade.