Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

IRS. Finanças já reembolsaram €250 milhões

  • 333

Rui Ochôa

Durante a primeira fase de entrega do IRS, limitada aos trabalhadores por conta de outrém, 74% dos contribuintes optaram por entregar a declaração pela internet. Apenas 4% dos contribuintes casados ou em união de facto optaram pela tributação separada

Mais de 3,5 milhões de declarações de IRS foram submetidas até dia 30 de abril, revelou hoje o Ministério das Finanças, salientando que 87,9% destas foram entregues via Internet.

Em comunicado, o ministério adiantou que na primeira fase de entrega das declarações de IRS, até 30 de abril, foram submetidas mais de 3,5 milhões de declarações (3.682,367), sendo que 3.236,997 foram entregues pela Internet, o que corresponde a 87,9% dos contribuintes.

“De salientar que, durante esta primeira fase, dos contribuintes casados ou em união de facto, apenas 4% optaram pela tributação separada”, adiantou o ministério.

No que diz respeito à segunda fase, iniciada a 01 de maio, foram submetidas até quarta-feira (04 de maio) 122.646 declarações, das quais 117.930 (96,15%) foram entregues pela Internet.

“Até ao momento, foram realizados 266.533 reembolsos, correspondentes a 249,73 milhões de euros, com um reembolso médio de 936,96 euros”, revelou o Ministério.

Na mesma nota, o ministério salientou que o processo de entrega de liquidação de IRS tem decorrido de forma regular sem que tenham existido quaisquer problemas na submissão das declarações.

“A complexidade das soluções introduzidas este ano com a reforma do imposto têm-se traduzido por vezes em pequenas falhas informáticas. A Autoridade Tributária tem corrigido, rapidamente, os problemas detetados e apresentado alternativas, de forma a assegurar que os contribuintes têm as melhores condições para cumprir as suas obrigações fiscais”, é salientado.

Na quinta-feira, o Ministério das Finanças indicou que houve uma "falha" no simulador do IRS que "foi corrigida" no primeiro dia da entrega das declarações, mas que poderá ter afetado alguns contribuintes, que poderão entregar uma nova declaração sem penalizações.

Numa nota, a tutela informou que "foi identificada uma falha no simulador [do IRS] que está disponível no portal" das finanças, que está relacionada com a opção pela tributação conjunta, e que fez com que alguns contribuintes tivessem recebido um reembolso inferior ao que tinha sido indicado na simulação realizada na internet.

Sublinhando que a falha "foi corrigida logo no primeiro dia de entrega das declarações", o gabinete de Mário Centeno garantiu que "todos os contribuintes afetados por esta situação e que tenham, com base na simulação efetuada, optado pela tributação separada ou conjunta, consoante o que se mostrou ser mais favorável, poderão entregar uma nova declaração sem qualquer coima associada para que não sejam prejudicados de forma alguma".