Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Vinhos. Portugal à prova entre Santarém e a Bairrada

  • 333

Ao quarto ano, o maior evento de vinhos do país bate recordes

O número é recorde: são 1.350 vinhos portugueses de 383 produtores nacionais que se apresentam à prova no Concurso de Vinhos de Portugal, a decorrer a partir de segunda-feira, entre Santarém e a Bairrada.

"É o maior evento de vinhos de Portugal e permite aos jurados internacionais que vêm participar no certame ficar com uma visão panorâmica geral dos vinhos que se fazem em Portugal, do vinho verde aos Açores, sem qualquer filtro prévio", afirma Jorge Monteiro, presidente da Viniportugal, a associação responsável pela organização do evento.

É um risco calculado que pode jogar a favor dos vinhos portugueses. Nas edições anteriores do evento, "a prova traduz-se, normalmente, no reconhecimento do júri de que entre os vinhos provados não foram encontrados vinhos com defeito", sublinha Jorge Monteiro, convicto de que esta também é uma forma de levar os líderes de opinião do sector a perceber que em Portugal se fazem cada vez melhores vinhos.

Nesta edição, as provas estão a cargo de 120 especialistas nacionais e 20 internacionais, em representação de 12 países, que avaliam todos os vinhos a concurso entre 9 e 11 de setembro, em Santarém. Depois, o Grande Júri, com os portugueses Bento Amaral e Luís Lopes e cinco especialistas internacionais que ditam tendências na cultura vitivinícola - Jancis Robinson, Joshua Green, Caro Mauro, Dirceu Vianna Junior e Evan Goldstein - avalia os finalistas e classifica os vencedores de prémios de ouro e grande ouro, a 12 e 13 de maio, na Bairrada.

Para a organização, com fila de espera de enólogos portugueses que querem participar nas 10 mesas do júri nacional, em Santarém, uma das virtudes deste modelo "é permitir e facilitar a troca de opinião entre as personalidades estrangeiras convidadas e os portugueses que fazem os vinhos nacionais".

Preço médio a subir

O concurso, que começou há quatro anos, com a participação de 600 vinhos portugueses, impõe limites na atribuição de medalhas. "Não pode haver de mais 25% de vinhos medalhados, nem mais de 4% com ouro nem mais de 2% com grande ouro", sublinha Jorge Monteiro que tem, na Viniportugal, a missão de promover a imagem de Portugal enquanto produtor de vinhos e valorizar a marca Wines of Portugal.

Com um plano de marketing de 7,3 milhões de euros que prevê implementar mais de 110 projetos em 12 mercados em 2016, A Viniportugal vai levar os vinhos premiados à Prowein, em Xangai, a um evento gastronómico na Suécia, e à Gourmet Food and Wine Expo, em Toronto.

Em 2015, as exportações portuguesas de vinho cresceram 1,6% em valor, para os 737,7 milhões de euros, caíram 1,2% em volume e viram o preço médio por litro subir 2,8%, para os 2,63 euros, o que aponta para uma tendência de valorização do produto. Outro indicador no mesmo sentido é o facto das vendas ao exterior de vinhos com Denominação de Origem terem crescido 5,2%, equanto o vinho não certificado caiu 5,3%.