Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas na Ásia fecham no vermelho pelo quarto dia consecutivo

  • 333

As bolsas da Ásia Pacífico fecharam esta quarta-feira no vermelho pela quarta sessão consecutiva registando uma quebra acumulada de quase 2% ao longo desse período

Jorge Nascimento Rodrigues

O índice australiano ASX 200 liderou esta quarta-feira as quedas com um recuo de 0,63%. As duas mais importantes bolsas asiáticas, Tóquio e Xangai, fecharam no vermelho, com o índice Nikkei 225 nipónico a perder 0,36% e o índice geral de Xangai a cair 0,27%.

A divulgação pela Apple, já depois do fecho na terça-feira dos mercados financeiros em Nova Iorque, de uma queda de vendas no primeiro trimestre do ano pela primeira vez desde há uma década teve um impacto negativo nas bolsas asiáticas que, também, continuam à espera das conclusões da reunião do Banco do Japão que só serão divulgadas na quinta-feira.

A expetativa é baixa em torno da reunião da Reserva Federal norte-americana (Fed), cujas conclusões serão divulgadas esta quarta-feira. No mercado de futuros das taxas de juro da Fed, a probabilidade de uma subida dessas taxas na reunião desta semana é nula e só atinge mais de 50% na reunião de 2 de novembro.

O preço do barril de petróleo de Brent, a variedade europeia de referência internacional, fixou na terça-feira um novo máximo do ano em 46,31 dólares perto do fecho da sessão norte-americana. A trajetória de alta do preço do ouro negro não animou os investidores asiáticos. O preço do Brent fechou a sessão asiática de hoje em 46,27 dólares. O Banco Mundial reviu em alta a sua previsão para o preço médio do crude em 2016, subindo-o de 37 para 41 dólares, e o American Petroleum Institute divulgou a previsão de uma redução de 1,1 milhões de barris nos stocks norte-americanos.